Publicidade
Esportes
No Amazonas

Tocha Olímpica ‘mergulha’ na natureza amazônica em 2º dia no Amazonas

O roteiro começou bem cedo no Cigs, onde a chama foi conduzida por militares, percorreu o zoológico e interagiu com as onças-pintadas “Juma” e “Simba” 20/06/2016 às 15:40
Show 09b82ffa efe2 4a2f 81d8 9d005a66c0e7
Joel Arthus e Valdo Leão/Divulgação
acritica.com

A Tocha Olímpica mergulhou na selva amazônica com visitas a comunidades indígenas e pontos tradicionais de turismo ecológico em seu segundo dia de revezamento pelo Amazonas.

Nesta segunda-feira (20) o roteiro começou bem cedo no Centro de Instrução de Guerra na Selva (Cigs), na zona centro-oeste de Manaus, onde a chama olímpica foi conduzida por militares pela mata onde acontece o treinamento para as operações de combate, percorreu o zoológico e interagiu com as onças-pintadas Juma e Simba.

Aproximadamente 300 pessoas, entre público, imprensa e soldados, acompanharam Waldeci Silva, o primeiro condutor a carregar a chama olímpica durante o percurso dentro do Cigs. Para o atual campeão brasileiro sênior de luta olímpica, a escolha do Centro de Instruções como um dos pontos do revezamento é emblemático.

“Foi tudo muito diferente e a escolha do Cigs foi estratégica. Ali dentro simboliza a nossa terra. Aliás, não só o país como também o verde de toda a região Amazônica. Já senti muita emoção no esporte, mas nada como a sensação de carregar o fogo olímpico”, afirmou.

Depois do Cigs, a Tocha seguiu um trajeto fluvial. Caminhou pela comunidade São Tomé, no município de Iranduba (a 19 quilômetros de Manaus), reduto do boto cor-de-rosa. De lá foi até a tribo Dessana para uma programação especial com os indígenas. O roteiro do fogo olímpico prevê um passeio na orla fluvial de Manaus, percorrendo cartões-postais da cidade, como a Ponte Rio Negro e a Praia da Ponta Negra.

Nesta segunda-feira, a Tocha segue para a cidade flutuante do Catalão, passando pelas comunidades ribeirinhas Canoas Caboclas, e encerra a volta pela Região Metropolitana da capital passando pelo Encontro das Águas.

Por volta das 16h, a chama estará no município de Presidente Figueiredo (a 105 quilômetros de Manaus), na cachoeira de Iracema, passeando por trilhas e grutas e pelo Parque do Urubuí. Na terça-feira, 21 de junho, a tocha embarca para o Acre.

Operação de Segurança

Toda o trajeto é monitorado pelo Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), do Governo do Amazonas, de onde cerca de 40 órgãos, a maioria da área de segurança, das esferas Federal, Estadual e Municipal, atuam integrados no controle da Operação Revezamento da Tocha Olímpica no Estado, com ações de segurança em via terrestre, aérea e fluvial.

O segundo dia de revezamento da tocha tem a coordenação local do Governo do Amazonas, por meio da Secretaria Executiva Adjunta de Planejamento e Gestão Integrada de Segurança para Grandes Eventos (Seasge) e do Comitê Organizador Local Manaus 2016.

Publicidade
Publicidade