Terça-feira, 23 de Abril de 2019
publicidade
1.jpg
publicidade
publicidade

Craque

Torcedor do Nacional atingido no olho por Nando terá amparo jurídico do Nacional

Diretoria do Naça confirmou que dará todo apoio jurídico e médico ao torcedor do clube que sofreu agressão do jogador do Princesa do Solimões. Japiim, que já se envolveu em outra confusão na Colina, moverá processo contra o atacante do time de Manacapuru


13/04/2015 às 13:48

O presidente do Nacional, Mário Cortez, confirmou que colocará o departamento jurídico do clube à disposição do torcedor Delcio Pacheco, o Japiim. O membro da torcida nacionalina foi atingido por uma garrafa atirada pelo jogador Nando, do Princesa do Solimões, ao final da partida entre as equipes neste domingo (12). Assim como Nando, Japiim é reincidente por ter atingido um torcedor do Paysandu com uma pedrada em jogo pela Copa Verde, na Colina.

“Vamos dar total apoio jurídico e médico ao Japiim. É um torcedor nosso que merece todo o respeito. Vai a todos os jogos do time, vamos ajudar no que for preciso”, confirmou Cortez. Um advogado do clube está à disposição de Japiim, que passou por exames médicos na manhã desta segunda-feira (13) em uma clínica particular, na Zona Centro-Oeste da capital.

Assim como o atacante Nando, o torcedor do Nacional, que tem 68 anos, foi parar no 19º Distrito Integrado de Polícia (DIP), após passar por exame de corpo de delito. Japiim disse que em momento algum chegou a atirar objetos no jogador do Princesa e que apenas estava vibrando com o restante da torcida nas arquibancadas da Colina.

“Nós estávamos apenas torcendo. Vibramos com o golaço de falta que nos deu a vitória no final do jogo. Ele (Nando) nem era pra estar ali, pois já tinha sido expulso de campo”, explicou Japiim, completando que a atitude do jogador da equipe rival foi de total falta de equilíbrio. “O que ele fez não tem perdão. Uma coisa é você torcer por sua equipe e falar palavrão, gritar e berrar. Outra coisa é você machucar alguém como ele fez comigo”, disse.

publicidade

Processo e reincidência

Japiim disse que irá processar o atacante do Princesa do Solimões baseado no Estatuto do Idoso e irá pedir uma indenização ao jogador. “Sou um velho de 68 anos e posso até perder a vista por causa da atitude daquele jogador. Jogador não. Pois jogador de futebol de verdade não faria o que ele fez. Ele bateu em um velho e o Estatuto do Idoso está do meu lado”, disse o torcedor.

A exemplo do camisa 23 da equipe de Manacapuru (distante 68 quilômetros de Manaus), Japiim também já foi acusado de agressão em uma partida de futebol. O fato ocorreu no último dia 22 de março no mesmo estádio da Colina. Na ocasião, Nacional e Paysandu se enfrentaram pelo jogo da volta válido pela Copa Verde e o sexagenário torcedor atingiu com uma pedra a cabeça de um membro da torcida do time paraense.

“Sim, eu joguei uma pedra e pegou na cabeça de um torcedor do Paysandu. Mas eu joguei a pedra na bandeira do Pará, não tive intenção de acertar ninguém”, confirmou Japiim afirmando que não chegou a assinar nenhum Termo Ciscunstancial de Ocorrência (TCO). “Me apresentei. Assumi meu erro. Nem cheguei a ser preso. Apenas fui lá, dei o nome e fui liberado”, finalizou.


publicidade
publicidade
Professores e governo não entram em acordo e greve continua no Amazonas
Médicos e estudantes de Medicina participam de cursos de capacitação da UEA
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.