Publicidade
Esportes
Pesca Esportiva

Torneio de Pesca reúne 200 pescadores no píer do Tropical Hotel neste sábado (30)

Quarta edição do Torneio de Pesca Esportiva Amigos do Tarumã vai até as 15h30 e reúne 70 duplas 30/09/2017 às 09:27 - Atualizado em 30/09/2017 às 09:37
Show zcr033001 p01
(Foto: Divulgação)
Camila Leonel Manaus (AM)

Sábado é dia de pescaria para os amantes da prática esportiva. É dia também de consciência ambiental nas águas do rio Tarumã, onde ocorre a 4° edição do Torneio de Pesca Esportiva Amigos do Tarumã. A largada acontece às 7h no píer do Tropical Hotel, Zona Oeste de Manaus. Até as 15h30, horário em que se encerra a competição, as 70 duplas têm a missão de buscar o maior peixe e recolher a maior quantidade de lixo das águas do rio.

Em quatro anos de competição, 50 toneladas de lixo já foram recolhidas do rio Tarumã. No quesito peixes capturados, atuais campeões da pesca são a dupla Dante Brescianini e Antônio Falcão. No ano passado, eles conseguiram uma somatória de 2m96 com seis peixes capturados. O maior deles com 72cm. 

Nesta edição, 200 pescadores se inscreveram, alguns vindo de outros estados do Brasil. É o caso de Cibelle Lima vinda de Goiás para participar do evento. Ela faz dupla com o namorado, Fernando Fischer, e competirá pela primeira vez no Amazonas. “Estou muito lisonjeada por ter recebido o convite do Amigos do Tarumã para vir participar e prestigiar o evento com meu namorado, que é um pescador profissional, e juntos, prestigiarmos o evento no intuito de incentivar a pesca de casais, e no meu caso, a pesca esportiva feminina”, disse a competidora que começou a prática aos três anos junto com o pai. “Comecei acompanhando meu pai em pescarias simples no estado de Goiás, com varinha de mão e etc... num estilo bem simples e familiar”, disse.

E não é só a região do evento que é novidade para Cibelle e Fernando, a pescaria de lixo também é novidade e apesar de não estar acostumada a pescar outras coisas além dos peixes, garante que haverá empenho da dupla. “Será um prazer pra mim, retirar todo o lixo do rio que minha embarcação puder retirar, pois eu sei o bem que isso faz à natureza, e é isso que irá manter viva a pescaria esportiva”, assegurou Cibelle, que tem boas expectativas para a competição.

“Espero que os pescadores, inclusive nós, se divirtam muito, pois isso é pescaria: prazer e paixão, porém espero também que todo este prazer, venha acompanhado da consciência de preservação do peixe e do ambiente! As pessoas que têm a consciência ecológica tem que fazer mais que sua parte”, completou.

Depois da pesca... festa!

Após o encerramento da competição, haverá uma festa na área do evento. Além de barracas de quitutes e de exposição de artigos de pesca, shows de artistas locais agitarão a noite. A programação da noite também inclui a premiação dos vencedores das competições. O campeão receberá medalha, troféu, estojo de iscas  e kit de facas. Além da premiação para os campeões, haverá sorteio de prêmios como barcos, motores e popa, e pacotes de pescaria em regiões do Estado.

Apenas tucunarés são válidos na competição. Durante a prova, os competidores precisarão apresentar no máximo seis peixes de, no mínimo 3cm, para a medição. Retiradas as medidas, eles devem ser devolvidos à água, vivos. Se algum peixe morrer, ele não conta na medição final.

Quanto ao lixo, a pesca dos detritos jogados no rio não é obrigatória, mas de acordo com o organizador, Rogério Bessa, os participantes se empenham para executar esta parte da prova. “É isso o que diferencia o evento, a consciência ambiental e o empenho dos competidores para conscientizar sobre a preservação dos rios. Em três edições já recolhemos mais de 50 toneladas de lixo e o evento é isso: envolve mais do que a pesca”, disse.

Entulhos como garrafas de plástico  em diferentes tamanhos, baldes de plásticos, sacos plásticos, chinelos de borracha, acrílicos em geral, fio elétrico e vasilhas de óleo pra motor, serão recolhidos e depois pesados para determinar quem será o campeão da categoria.

Publicidade
Publicidade