Segunda-feira, 14 de Outubro de 2019
Craque

Torneio Feminino do Peladão 2014 colocará frente à frente jogadoras experientes

O Portugal, que estreou na competição nesta edição, conta com a habilidade e experiência de Vanda. Já o Manaus Moderna conta com a competência da também experiente Fran



1.gif Feminino do Peladão
30/01/2015 às 17:19

Apesar de ser protagonizada por times novatos, a decisão do torneio Feminino do Peladão colocará frente à frente jogadoras experientes e acostumadas a levantar o troféu.

O Portugal, que estreou na competição nesta edição, conta com a habilidade e experiência de Vanda, 31 anos. A camisa cinco tem na bagagem títulos por equipes como Trigolar, Apolo e Nilton Lins.

Já o Manaus Moderna conta com a competência da também experiente Fran, 34 anos, autora da cobrança de pênalti que garantiu a passagem da equipe para a final.

Mas está enganado quem pensa que tanta experiência assim livra essas atletas do nervosismo de uma final. Segundo Fran, que também já venceu o torneio mais de uma vez, não há como não ser afetado pela tensão. “No jogo da semifinal, eu tremia. Parecia que eu tinha 15 anos”, confessa Fran. “Isso é normal numa final. Todo mundo sente”, complementa Vanda.

Vanda e Fran não são as únicas jogadoras conhecidas e respeitadas no meio do futebol que entrarão em campo amanhã. Mas, segundo as duas, só o nome não vence jogo.

“Futebol a gente ganha dentro de campo. Fora a gente não ganha nada”, comenta Vanda.

Fran estava afastada do futebol por conta de uma lesão no joelho. Depois de um tratamento, recebeu o convite para o Manaus Moderna, e aceitou.

“Pegamos uma chave bastante complicada, mas graças a Deus estamos aí na final. O bom do futebol é isso”, diz Fran.

Vanda disse que durante o período de inscrição, ela conseguiu reunir o elenco mas faltava alguém que patrocinasse o time no Peladão. Ao conseguir, inscreveu o clube.

Bricalhona, Vanda provoca Fran, e garante que vai aumentar sua coleção de títulos. “Confere aí, mana (Fran), quantas finais eu já participei? Eu estou na tua frente, não é?”, brinca a atleta do Portugal.

Fran responde dizendo que no final da partida de amanhã elas conversam. “Ela está dizendo aí que vai vencer. Mas vamos ver lá no dia”, afirma.

Antes de tudo e rivalidade à parte, Fran e Vanda são grandes amigas fora de campo. Por isso, além do futebol, a amizade também será celebrada na final do Peladão Feminino.

As duas jogadoras já disputaram a competição e foram campeãs jogando pelos mesmo times, no Trigolar, o Apolo e Nilton Lins.


Equipe Manaus Moderna. Foto: Lucas Morelli

Elas mandam na feira
O Manaus Moderna participa pela segunda vez do Peladão. O elenco é patrocinado por feirantes da Feira Manaus Moderna. Tradicionalmente, os trabalhadores davam mais atenção à categoria masculina, mas desde 2013, começou a se interessar pelo futebol feminino.

Para Pingo, auxiliar técnico da equipe, o elenco desse ano do Manaus Moderna é mais disciplinado, e isso se refletiu dentro de campo, resultando na classificação para a final. “Graças a Deus, no segundo ano, já conseguimos chegar à final”.

O auxiliar técnico diz que uma das vantagem que o elenco dele pode levar para a final é o fato dele conhecer praticamente 100% do time adversário. “As meninas do Portugal jogaram com a gente ano passado. Então, conhecemos um pouco os pontos fortes e fracos delas. Vamos jogar em cima disso”, afirmou Pingo.

“O adversário é forte. Mas vamos jogar de igual para igual”, comentou Pingo. Bebezinho, a camisa 9 do Portugal e artilheira da competição preocupa o auxiliar técnico e receberá marcação especial. “Ela é o diferencial do time delas”, confessou Pingo.


Equipe Portugal. Foto: Lucas Morelli

Virar a casaca funciona
O Portugal FC disputa a categoria feminina do Peladão Brahma pela primeira vez. Mas, suas atletas são bastante experientes na competição e conhecem muito bem o adversário da final. Na temporada passada, nove jogadoras que estão no time do Zumbi jogaram o Peladão justamente pelo Manaus Moderna. A base do time também jogou o Campeonato Amazonense feminino no ano passado, com a camisa do Rio Negro.

Nas semifinais do Peladão, a equipe passeou contra o Gacin, na manhã do último domingo, no campo da Fazenda São Pedro, vencendo o duelo por 3 a 0. A treinadora da equipe, Samantha Almeida, viveu inclusive uma nova experiência nesta partida: precisou ir atuar como goleira, já que a titular, Célia, torceu o tornozelo ainda no primeiro tempo de jogo.

“Eu geralmente completava o time como zagueira, mas, como não havia substituta, fui para o gol. E deu tudo certo. Para a final, nossa goleira reserva deve atuar. Ela precisou resolver uns problemas em Manaquiri, e por isso não estava no jogo de domingo. Mas, se o time precisar, já sabe que pode contar comigo”, disse Samantha, que já conquistou o Peladão feminino pela Nilton Lins e pela Salcomp.



Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.