Publicidade
Esportes
Craque

Treinador campeão amazonense de 2013 não conseguiu acabar com o jejum do Operário

Sapão foi eliminado da competição. Em três jogos o Operário só acumula derrotas. Jogo da despedida será contra o Holanda, na próxima rodada 21/10/2015 às 16:38
Show 1
Marcos Piter bem que tentou, mas não conseguiu repertir o feito do Princesa
Anderson Silva Manaus (AM)

Único time a “desfilar” com o técnico Campeão Amazonense da primeira divisão, o Operário não conseguiu surpreender sob o comando de Marcos Piter, e foi eliminado na noite de ontem da Copa Amazonas. O Sapão da Terra Preta acumulou a terceira derrota, desta vez para o Naça Borbense por 3 a 1 no estádio Carlos Zamith, na abertura da terceira rodada da competição.

Os gols de Brendo, Romarinho e Jerfferson ajudaram de despachar o time de Manacapuru, que marcou o de honra com Jacaré. Agora, o Borbense está na briga por uma vaga na final com o Fast, que folgou na rodada. Sem muita emoção, as duas equipes se esbarravam na marcação, sem conseguir ultrapassar a linha da grande área. O Borbense, aos 13 minutos, teve uma chance com Lucas Autazes, que chutou rasteiro nas mãos do goleiro.

Acostumado com bons resultados, Piter não lamentou a meta não alcançada com o Sapão da Terra Preta

“Eu tenho uma gratidão pelo presidente. O trabalho foi feito. Perdemos por detalhe e não fizemos... É mérito para Manaus, Fast, Borbense que venceram a gente. Esperamos que o Operário dê o seu melhor nos próximos campeonatos. E vou ficar no aguardo de propostas”, afirmou o treinador.

O jogo

A primeira investida animou o Camaleão de Borba e o ataque passou a ser intenso. Aos 19, Breno teve a primeira chance real de gol, mas esbarrou no goleiro Rasci. Pouco depois o volante Kenny deu o passe certeiro para Brendo chegar ao gol e Rasci espalmar pra fora. No escanteio cobrado por Lucas Autazes, Brendo de cabeça balançou as redes 1 a 0, aos 25 minutos.


O Operário ainda tentou reagir com a entrada de Gogo e Jonas, mas foi o Borbense que marcou o segundo aos 41. O zagueiro Lídio lançou Brendo pela direita que desviou de cabeça para Romarinho mandar pro gol: 2 a 0. Na segunda etapa, o Sapão voltou partiu para o tudo ou nada. E aos 4 minutos, em um cruzamento Jacaré aproveitou o vacilo da zaga e diminuiu de cabeça: 2 a 1.

Depois do gol o jogo ficou mais pegado. Ainda assim, o Borbense voltou a marcar aos 31 no pênalti cobrado por Jefferson: 3 a 1. Com ânimos exaltados, os atletas de ambas as equipes fizeram um jogo mais “carregado” e com inúmeras paralisações por falta, além de expulsões. O Borbense teve o volante Aderilson expulso por reclamação e o Operário ficou sem Jandão e Fininho, ambos expulsos depois dos 31 minutos do segundo tempo.

Publicidade
Publicidade