Quarta-feira, 16 de Outubro de 2019
PERÍODO BARÉ

Treinador campeão da Copa do Brasil, Tiago Nunes já teve passagem pelo Nacional

Giovanni Alves, vice-presidente do Manaus, lembra o período de Tiago como auxiliar técnico do Nacional, em 2011



3cc4591e-7b5c-4172-a1ac-8bdd8ac5ca3e_D493FF6F-832D-40AF-96AC-0FC6935960DF.jpg Foto: Divulgação
20/09/2019 às 07:20

Você já deve saber que o Athletico Paranaense é campeão da Copa do Brasil. Mas o que talvez você não saiba é que o treinador do CAP teve passagem pelo futebol amazonense. Em 2011, Tiago Nunes fez parte da comissão técnica do Nacional. Aos 31 anos, o jovem Tiago já exibia cabelos grisalhos como auxiliar técnico do Leão da Vila Municipal.

“Ele veio pra trabalhar em Manaus quando eu assumi a diretoria de futebol do Nacional, após o clube ter perdido o Campeonato Amazonense”, relata Giovanni Alves, presidente do Manaus Futebol Clube na campanha do acesso à Série C 2020 e que hoje ocupa o cargo de vice-presidente do Gavião.



No Estadual de 2011, o Nacional teve três treinadores diferentes: Laone Luz, demitido sem ao menos perder um jogo (2V e 2E), Luís Carlos Winck (vice do 1º turno, demitido após derrota para o Fast) e Adinamar Abib (campeão do 2º turno e vice na final estadual).

Giovanni lembra com detalhes daquele ano: “O Nacional ia disputar a Série D do Brasileiro. No Estadual, eles tentaram fazer um elenco caseiro, igual fiz no América em 2010, quando fomos vice da Série D, mas não estava dando certo. Falei com o Mitoso, presidente na época, dizendo que precisávamos de um gerente de futebol. Trouxemos o Ângelo e após conversarmos, chegamos ao nome do Tarcísio Pugliese, que foi preparador físico do Nacional em 2003”.


Tiago Nunes se sagrou campeão da Copa do Brasil com o Athletico Paranaense na noite dessa quarta-feira (18). Foto: Divulgação/Lucas Figueiredo - CBF

Foi por indicação de Pugliese que Tiago Nunes chegou ao Nacional. Os dois vinham trabalhando juntos em outros clubes e no Mais Querido não foi diferente. Porém, se hoje Tiago trabalha no clube que tem Furacão como apelido, no Nacional, ele esteve dentro do verdadeiro olho do furacão.

A campanha na Série D foi desastrosa. Foram sete jogos (1V, 1E e 5D), o que rendeu a saída precoce de ambos, com o preparador de goleiros Naílton Garcês assumindo o time na última rodada. Detalhe: sob o comando de Naílton, o Nacional venceu fora de casa o Vila Aurora-MT por 3 a 1, sendo essa a segunda vitória do clube na Série D.

“Infelizmente, fizemos contratações em cima da hora pra Série D e com pouco tempo de adaptação não tivemos sucesso. ”, resume Giovanni, que mesmo após 8 anos da passagem de Tiago pelo Amazonas, ainda  mantém contato com o treinador do Furacão.

“Sempre que a gente pode, batemos um papo com ele, pegamos alguma informação sobre jogadores. Pra nós é uma gratificação muito grande em saber que o Tiago, um colega que passou conosco, está tendo sucesso. É um cara gente boa”, finaliza Giovanni.

Procurado pela reportagem do Portal A Crítica, o presidente do Nacional na época e atual presidente do Manaus FC, Luís Mitoso, resumiu o conturbado ano de 2011 vivido no Leão de forma direta: “Não quero nem lembrar!". 

Texto: Deyvid Jhonatan

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.