Publicidade
Esportes
MENINA PRODÍGIO

Triatleta amazonense revela sua outra grande paixão profissional: a enfermagem

Luisa Marillac é a personagem desta semana da série 'além do esporte', que retrata a vida dos esportistas fora da rotina de treinos e competições 07/03/2017 às 17:35 - Atualizado em 07/03/2017 às 17:43
Wal Lima Manaus

A triatleta Luisa Marillac, 17, é a personagem desta semana da série “além do esporte” do MANAUS HOJE, que retrata a vida dos esportistas fora da rotina de treinos e competições. E olha que a jovem musa das piscinas tem uma vida super agitada! Diariamente, ela acorda às 6h e vai dormir às 22h, dividindo seus horários entre os musculação, pilates, fisioterapia e ciclismo e piscina, além dos estudos. Sim! Mesmo com a agenda superlotada, Marillac não dispensou a oportunidade de cursar uma faculdade.

Só que ao contrário do que muitos imaginavam, ela optou por um caminho diferente do tradicional. Afinal, seria muito “óbvio” cursar educação física ou fisioterapia. Marillac é aluna de enfermagem e entrou na faculdade aos 15 anos de idade. A triatleta é bolsista integral na Estácio de Sá e teve essa oportunidade graças ao desempenho esportivo. A escolha pela enfermagem surpreendeu até a coordenação da instituição de ensino. 

“Tudo aconteceu há dois anos. O pessoal da Estácio me procurou oferecendo uma bolsa integral de estudos e não tive como dispensar essa chance. Foi engraçado, porque eles não esperavam que eu fosse optar pela enfermagem. Todo mundo ficou um pouco espantado”, disse Luisa aos risos.

Ela resume a escolha pela área de saúde em uma antiga paixão. “Eu sempre fui apaixonada pela área da saúde, como a medicina relacionada, a enfermagem e a nutrição. Gosto de poder cuidar das pessoas e saber que poderei fazer muito isto por meio da enfermagem me deixa satisfeita e feliz”.

A enfermagem requer tempo e dedicação dignos de atleta de altíssimo nível. E Luisa Marillac garante que a vida esportiva não atrapalha nenhum pouco em seus estudos. “A Faculdade me ajuda bastante nesse sentido. Tenho uma flexibilidade nos horários. Eles estão acostumados a apoiar outros atletas e sabem da nossa rotina, e por isso conto esta, digamos,  facilidade, principalmente durante as muitas viagens que faço no decorrer do ano para competir. Se eu tiver que faltar em dia de prova eles remarcam e eu fico com tempo suficiente para estudar antes das avaliações. E eu também sou filha de militar. Então, desde pequena, aprendi a ter regras e disciplina com meus horários”, contou.

Luisa também revelou ao algumas aventuras vividas no curso de enfermagem durante as aulas de anatomia. “Tive a certeza de que fiz a escolha certa quando comecei as aulas de anatomia, onde tivemos a oportunidade de estudar com cadáveres. Poucas pessoas conseguem ter pulso durante as aulas porque tem um cheiro horrível, mas para mim, as aulas  foram muito legais e divertidas. Foi uma grande oportunidade de estudar o corpo humano com pessoas de fato, e não apenas os bonecos”, disse a atleta.

Próximas competições
No ano passado, Luisa Marillac teve grandes conquistas. Em setembro do ano passado, ela participou pela terceira vez da Copa Pacífico, em Santigo, no Chile. E na competição garantiu a décima colocação nos 200 metros costa. A presença na disputa ocorreu após a convocação dela e de outros seis atletas para a seleção brasileira de natação. Sendo que ela conquistou a vaga após boas colocações nos 100 e 200 metros livres,  e  pela prova de 800 metros livres iniciada no triathlon nos últimos 3 anos.

 Para este ano, ela espera bons resultados no Norte/Nordeste, e pretende garantir mais uma vez o passaporte para a competição internacional, representando as cores do Brasil. As datas das competições ainda não foram definidas pela federação da modalidade.

Publicidade
Publicidade