Publicidade
Esportes
PESOU

Tribunal de Justiça Desportiva aplica punições por conta de confusão em semifinal

Com punições, jogo de volta entre Fast e Manaus deve acontecer a 200 km de Manaus, sem torcida. 30/05/2017 às 08:28
Show conf
Confusão generalizada aconteceu durante a primeira partida da semifinal entre Manaus e Fast, quando o Gavião venceu por 2 a 0. (Foto: Antônio Lima)
Valter Cardoso Manaus-AM

O Tribunal de Justiça Desportiva do Amazonas julgou nesta segunda-feira (29), as partes envolvidas na confusão generalizada que aconteceu durante a primeira partida da semifinal do Campeonato Amazonense, entre Manaus e Fast Clube.
 
O jogo, que ocorreu na semana passada, precisou ser interrompido após a expulsão de Thiago Brandão, do Fast. O zagueiro, inclusive, foi o que teve a pena mais dura. O jogador pegou oito jogos de suspensão. Na súmula da partida, o árbitro relatou ameaças e um empurrão de Thiago.

 Dentro de campo, o Manaus venceu o Fast, na primeira partida da semifinal por 2 a 0. O jogo de volta está marcado para a próxima quinta-feira (01), em local a ser definido, em virtude da aplicação das punições. O Tricolor perdeu três mandos de campo e precisa jogar as partidas a 200 km de Manaus, sem  torcida,  além de multa de R$ 5 mil. O Gavião, mandante da partida foi punido com multa de R$ 3 mil além da perda de um mando de campo.

Os outros dois jogadores, Augusto, do Fast, e Tiago Amazonense, do Manaus,  receberam apenas um jogo de punição, já que ambos foram expulsos da partida.

Além disso, membros da comissão do Tricolor foram julgados.  O auxilar Ney Júnior  foi punido com suspensão de 4 partidas, mais multa de R$ 300. Francisco Carlos, preparador de goleiro do time foi punido com uma partida de suspensão. Mozart, preparador físico do Rolo Compressor foi suspenso por seis partidas.

Publicidade
Publicidade