Publicidade
Esportes
Craque

Tricampeão do Peladinho, Jairo Seixas encara a missão de treinar o estreante Independente

O time está mais vivo do que nunca na competição e embalado por uma vitória de 10 a 0. A equipe do bairro Cidade Nova segue focada, mas o treinador sabe que qualquer vacilo agora é fatal, por isso não dá moleza 02/01/2015 às 16:29
Show 1
Jairo Seixas faz caras e bocas na beira do campo para comandar o Independente
Lúcio Pinheiro Manaus

Tricampeão do Peladinho, Jairo Seixas encara em 2014 a missão de treinar um estreante na categoria, o Independente E. C. O time está mais vivo do que nunca na competição e embalado por uma vitória de 10 a 0. A equipe do bairro Cidade Nova segue focada, mas o treinador sabe que qualquer vacilo agora é fatal, por isso não dá moleza.

Jairo é do tipo durão, e fala com a molecada como se falasse com gente grande. Não economiza palavras e cobra vontade do grupo até mesmo na hora da oração. “Vamos orar alto!”, grita o treinador, antes da tradicional reza de agradecimento por mais uma vitória.

O treinador disse que não tem como ser diferente, porque quem quer ser jogador profissional vai receber esse tipo de cobrança a vida toda. “A gente se espelha muito no perfil dos técnicos de fora, que é assim. Eu falo sempre para eles, quem quer ser jogador de futebol, tem que começar a acostumar o ouvido”, afirma Jairo.

A base do Independente é formada por garotos oriundos da escolinha de futebol do Nacional. Até 2013, o time disputava o Peladinho com o nome do clube. Em 2014, o grupo passou a integrar a escolinha do Fluminense e, após parceria com o pai de um dos atletas, a equipe mudou o nome definitivamente.

Jairo trabalha no futebol há 15 anos. Ele diz que a vantagem de comandar times de categorias de base é que não tem que corrigir vícios. “Adulto já está mal acostumado. Não quer treinar, só chega para jogar. E se já é um medalhão, com nome conhecido, não quer atender o que a gente pede”, conta o treinador.

A marcação serrada de Jair nos seus comandados tem dado certo. Quem garante é o próprio treinador. “Sempre peço mais empenho, mais vontade. No sábado, o time foi bem melhor, jogou com responsabilidade, respeitando o adversário. Sempre digo para eles que no final do jogo tem que cumprimentar o adversário”. O próximo adversário do Independente é o Amigos do Samuel. Se vencer, se garante nas quartas de final.


Malyson é o artilheiro

Artilheiro com faro de gol
Maylson é o artilheiro do Independente E. C. Aos 14 anos, o jovem começou com o pé afiado, marcando 5 gols apenas no primeiro jogo. Na segunda partida, o centroavante marcou mais uma vez, e na última partida foi o autor de três dos 10 assinalados pela equipe. Maylson diz que não gosta de ficar parado na área esperando uma bola sobrar.

“Gosto mais de sair da área para pegar a bola e partir para cima, para fazer a jogada”, conta o atacante.

O estilo de Maylson agrada o treinador fora e dentro de campo. “Ele está bem. É um garoto obediente, gosta de treinar e é bom de estudo, que é uma parte que eu exijo muito também”, comenta Jairo.

Em três partidas, o Independente marcou 13 gols e sofreu dois. O placar de 10 a 0 do último jogo é o terceiro maior do ano. O maior foi o da vitória do Compensinha por 34 a 0 em cima do Vitória.


Equipe Independente

Cedo para ser campeão
O primeiro título de Jairo Seixas no Peladinho foi com o 3B, em 2006. Em 2009, o treinador levantou a taça pelo Aliança Manaus Compensão. O tricampeonato veio em 2012 com a equipe do Panair.

Na edição desse ano, o nova equipe de Jairo faz uma campanha modesta. No primeiro jogo, venceu por 2 a 1 o time Príncipes da Fé. Na partida para definir quem ficaria no primeiro lugar da chave, não saiu do 1 a 1 com o Social Puraquequara. O resultado foi considerado um desastre para o treinador, pois o adversário jogou com um atleta a menos.

Depois da bronca que levou após o empate, o time acordou na terceira partida, aplicando uma goleada de 10 a 0 no Agir Coroado.

“Pela experiência, não avalio muito pelo coração e sim pela razão. Então vejo o nosso time na condição de médio para bom. Ainda não estamos no nível do Barcelona, que vejo como favorito ao título”, avalia o treinador.


Publicidade
Publicidade