Publicidade
Esportes
Peladão 2017

Troféus da abertura do Peladão farão homenagem a ex-jornalista de A Crítica

Paulo Ricardo Gavião é o homenageado das categorias principal e master, que jogarão na abertura do Peladão 08/09/2017 às 21:57 - Atualizado em 09/09/2017 às 10:21
Show paulo richards
(Foto: Arquivo AC)
Camila Leonel Manaus (AM)

Os vencedores dos duelos Máster e Principal na rodada de abertura do Peladão, neste sábado, receberão o troféu que leva o nome do jornalista Paulo Ricardo Gavião. O nome é uma homenagem ao repórter falecido no mês de julho e que trabalhou no Jornal A CRÍTICA, dedicando boa parte de suas matérias ao Campeonato de Peladas do Amazonas.

“Esse companheiro nosso foi contratado para fazer os cadernos do Peladão. Ele foi uma das pessoas que muito nos ajudou divulgando o campeonato e nós discutimos e tivemos a ideia de prestar uma homenagem e fazer os dois troféus com o nome dele”, explicou o coordenador-geral do Peladão, Arnaldo Santos.

Além do nome dos troféus, durante a solenidade, uma salva de palmas será dedicada ao repórter que morreu em decorrência de um câncer. “Durante a abertura vamos homenageá-lo com uma salva de palmas para lembrar a pessoa alegre que ele era”, completou Arnaldo.

A viúva do jornalista, Mary Benoliel, que reside em São Paulo, foi pega de surpresa com a homenagem e ao mesmo tempo mostrou-se grata com a lembrança de Paulo Ricardo pelos esforços prestados para divulgar histórias do Peladão.
“Na verdade eu não sabia da homenagem. Estou sabendo agora (ontem), mas acho que é de muita valia isso. É um reconhecimento merecido para uma pessoa como ele, que empenhou muito anos escrevendo sobre o Peladão, acompanhando de perto não só o Peladão como também sobre os outros esportes”, declarou por telefone.

Amor pelo esporte

Paulo Ricardo Oliveira  se formou pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam). A primeira passagem dele no jornal foi em 2003, quando foi contratado como setorista do Peladão. Passou para a editoria de Cidades e, pouco depois, deixou o jornal.

A segunda passagem foi em 2008, quando fez parte do CRAQUE. Desta vez, Paulo se dedicou a cobrir as Artes Marciais Mistas, ou o MMA, esporte que na época era novidade no Brasil. Ele assinou a coluna CRAQUE na Luta, a primeira voltada à modalidade no Amazonas. Paulo participou de outras coberturas como a da Copa das Confederações de 2013. Fez parte da equipe até 2014, quando se mudou para São Paulo. Diagnosticado com dois câncer  no cérebro e outro no pulmão no ano passado, ele lutou até julho desde ano.

Publicidade
Publicidade