Quinta-feira, 18 de Abril de 2019
publicidade
1.png
publicidade
publicidade

Lana tem toque de Midas

Tudo que Lana toca vira ouro no Amazonense

Com 92% de aproveitamento no ano é hora de perguntar: Quem vai parar Lana?


19/04/2013 às 10:51

Com impressionantes 92,5% de aproveitamento em 2013, entre jogos pelo Campeonato Amazonense Chevrolet 2013 e  pela Copa do Brasil, o experiente técnico do Nacional, Aderbal Lana, 67, vem fazendo a diferença dentro e fora de campo. Foram três vitórias e um empate, dirigindo o Penarol no primeiro turno do Amazonense, além de três vitórias no returno à frente do Naça, e dois triunfos incontestáveis contra a equipe do Águia de Marabá-PA, pela Copa do Brasil, que garantiu a classificação para a próxima fase da competição.

Mas qual o segredo do treinador mais vitorioso da história do futebol profissional do Amazonas, que tem fama de ranzinza e já conquistou sete títulos de campeão Estadual e três Copas Norte? Segundo o próprio Aderbal Lana, em 2012 ele começou um trabalho específico no Penarol baseado em planejamento. Para ele, no futebol não importa se você está no Amazonas ou no Rio de Janeiro: tem que haver um projeto para o clube, atletas, analisar o campeonato e definir o que vai precisar para que o trabalho seja baseado e bem sucedido. 

“Mas isso gera muita desconfiança porque poucos são os dirigentes do futebol brasileiro que trabalham com planejamento. Tudo é feito de qualquer maneira. Se você perde um jogo o treinador vai embora ou se ele ficar, três ou quatro jogadores são dispensados e assim não existe uma sequência”, afirmou o comandante.

Experiência 

O São Raimundo (que subiu para o Brasileiro da Série B em 1999) foi citado pelo treinador como resultado de um trabalho com planejamento a longo prazo que deu certo.

“Houve um planejamento de quatro anos e uma equipe que não era nada ficou conhecida em todo o Brasil. O clube ficou sete anos na Série B do Campeonato Brasileiro e deu muitas alegrias para o torcedor amazonense. Mas aconteceu o que é comum no futebol. Quando o time cresce, aparecem muitas mães e o pai da criança e tudo vem abaixo. Mas futebol sem planejamento não vai a lugar nenhum”, avaliou o treinador do Nacional  que relembrou as suas experiências e planejamento nas boas campanhas do Princesa do Solimões em 2012 e Penarol (até ele deixar o comando da equipe) e Nacional nesta temporada.

publicidade
publicidade
Masters do Corinthians enfrenta Seleção Evangélica do AM na Arena em maio
Ball Cats vai em busca do título da Champions Ligay em Brasília
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.