Publicidade
Esportes
COMRADES MARATHON

Ultramaratonista do AM vai superar limites na Comrades Marathon, na África do Sul

André Costa está superanimado para correr a maior e mais antiga ultramaratona do mundo. 02/06/2017 às 23:12 - Atualizado em 02/06/2017 às 23:12
Show lrt17msp4531  2
O que André Costa mais gosta é de superar os seus limites, e é isso que ele pretende fazer na Comrades Marathon. (Foto: divulgação)
Jéssica Santos Manaus (AM)

O ultramaratonista André Costa, 41, vai realizar no próximo dia 4 de junho a ultramaratona mais tradicional e famosa do mundo: a Comrades Marathon, com largada na cidade de Durban e chegada em Pietermaritzburg na África do Sul, totalizando 87 km passando por montanhas e pela savana africana.

“A Comrades é a ‘mãe das ultramaratonas’, pois é também a maior ultramaratona do mundo em participantes, que são 20 mil. A prova tem muita história envolvida, acontece desde 1921 e, além da prova, existe um fim de ajuda para várias instituições como escolas para crianças especiais e pessoas com necessidades especiais; tudo isso me envolveu muito”, disse André.

Para se ter uma ideia sobre o lado social da ultramaratona, este ano, a delegação brasileira vai levar 500 pares de tênis para doação. Serão 174 brasileiros inscritos na prova, e André é o único representante do Amazonas.

A direção da corrida alterna a cada ano entre a corrida "up" (87 km), a partir de Durban, e a corrida "down" (89 km), a partir de Pietermaritzburg, com altimetria máxima de 810 metros. “Este ano, o percurso é em subida, e eu venho com treinamento específico para esta prova desde janeiro; antes fiz uma base”, explica o atleta.

André Costa treina com uma Assessoria de São Paulo chamada Nova Equipe, que possui vários atletas ultramaratonistas. “Minha rotina de treinos era quase diária, com folga somente às quartas-feiras e em alguns domingos. Foram 1.529km percorridos de janeiro para cá”, conta André, que chegou a fazer 65 km correndo, em uma única sessão de treino.

 

“Este foi meu principal treino. Aconteceu três semanas atrás, e foram 65 km rodados em 6h30 de corrida. Eu comecei o treino às 2h da manhã, na Ponta Negra, fui até a Ponte (sobre o Rio Negro), voltei para a Ponta Negra, retornei à Ponte, e segui até a Cidade Universitária de Iranduba, para completar o percurso”, conta André.

André fez a maior parte dos seus treinos à noite, apenas os mais longos pelas manhãs. “Quando era preciso treinar subidas, ou eu corria na Avenida das Torres ou na Estrada do Turismo, e se o percurso que eu precisava fazer era plano, eu fazia na Ponta Negra”, explica o ultramaratonista.

Premiação da prova

Serão premiados os atletas que concluírem o percurso de 87 km em até 12 horas. Sendo que as medalhas são de ouro, Wally Hayward (prata circundadas por anel de ouro), prata, Bill Rowan (bronze circundadas por anel de prata), bronze e Vic Clapham (cobre). “É difícil prever quanto tempo eu vou fazer, mas se eu fizer sub-10 horas está muito bom, se eu fizer sub-9, estaria perfeito”, disse André.

Difícil até entrar

Para participar da Comrades Marathon é necessário ter feito uma maratona (42 km) em no máximo 5h, pelo menos seis meses antes. André fez a Maratona Internacional de São Paulo, em abril, com o tempo de 3h35.

Publicidade
Publicidade