Publicidade
Esportes
CAMPEONATO

Ouro em 2012, Dani Lins fala da expectativa para jogo da Superliga em Manaus

Dani Lins foi campeã das Olimpíadas de 2012, com a Seleção feminina de vôlei, e joga em Manaus neste sábado (7) pelo Vôlei Nestlé/Osasco. Levantadora ainda revelou que tem planos de ser mãe em 2017 07/01/2017 às 17:54
Show image
Dani Lins comemorou o final do seu dia de aniversário, junto com a torcida amazonense (Foto: Antônio Lima/SEJEL))
Jéssica Santos Manaus (AM)

Danielle Rodrigues Lins, conhecida como Dani Lins, 32, é levantadora do Vôlei Nestlé/Osasco, de São Paulo, que está em Manaus para disputar a Superliga feminina de vôlei, neste sábado (7), às 20h, na Arena Amadeu Teixeira, Zona Centro-Sul de Manaus. Ela foi campeã olímpica em 2012, e já venceu quatro Superligas (2006/07, 2007/08, 2008/09, 2010/11). Dani é casada com Sidão, que também já foi atleta da seleção brasileira de vôlei. Durante a entrevista, revelou que tem planos de ser mãe em breve.

Dani Lins tem se destacado no time por fazer muitos pontos para a equipe, apesar de essa nem ser sua função. “Marcar pontos para o time não é algo comum, porque é bem difícil para a levantadora conseguir essa façanha. Minha maior satisfação é deixar as jogadoras com a melhor bola, sozinhas, sem bloqueio, e ajudá-las a fazer o ponto. Isso para mim é a satisfação maior”, disse ela.

A jogadora destaca como se sente para o jogo em Manaus. “Jogar aqui é difícil, é quente, a gente perde o costume de jogar no calor, porque mesmo quando está quente em São Paulo, não é assim, mas é gostoso também, porque a gente vê o carinho da torcida. Foi meu aniversário, e ficou todo mundo me dando parabéns no aeroporto, e até brinquei dizendo que vim pra cá e ganhei mais uma hora de aniversário, e é bem gostoso, o povo daqui é bem hospitaleiro, sempre têm um carinho enorme com a gente”, disse.

Este é o segundo jogo da Superliga em Manaus, e outros ainda estão previstos para acontecer nos próximos meses. Dani vê os jogos em Estados diferentes dos habituais como algo positivo. “É gostoso vir pra cá porque é difícil, Amazonas e vários outros Estados não têm jogos de vôlei, e a gente sabe que todo mundo acompanha a gente, todo mundo tem um carinho, e seria muito bom se pudesse sempre cada time fazer pelo menos um jogo fora do seu Estado, seria bom para fazer com que todo mundo se envolva mais com o voleibol brasileiro, que está crescendo cada vez mais”, ressaltou ela.

Planos para o futuro

Apesar de estar em excelente fase profissional, Dani Lins também tem planos para a vida pessoal neste ano de 2017. “Quero ser mãe logo, e estou planejando com o Sidão direitinho. Mas é aquilo, né? Primeiro quero ser campeã da Superliga, porque faz tempo que eu não ganho, a última vez que ganhei foi em 2010, então eu estou trabalhando bastante para isso, para levar a Nestlé para o pódio da Superliga esse ano, e depois eu quero descansar, não sei ainda, mas o sonho de ser mãe está bem próximo de ser realizado”, revelou.

Publicidade
Publicidade