Publicidade
Esportes
Craque

Único natural de Manacapuru no elenco principal do Princesa, Rasci quer fazer valer experiência

Quatro vezes campeão amazonense, três delas por equipes do interior do estado, o goleiro, que foi vice-campeão pelo Princesa em 2014, ainda não conquistou título por um clube de sua cidade. 16/06/2015 às 19:56
Show 1
Rascifran já foi quatro vezes campeão amazonense, três desses títulos foram conquistados em equipes do interior do Estado.
Felipe de Paula Manaus (AM)

Com a missão de ter que vencer o Nacional por pelo menos dois gols de diferença a segunda partida da final do Campeonato Amazonense, neste sábado, às 15h, na Arena da Amazônia, o Princesa do Solimões tem que melhorar a pontaria do ataque, mas não pode nem pensar em tomar gol, tudo o que não tem acontecido nos três primeiros embates entre as feras Leão e Tubarão neste Estadual.

Quem tem a responsabilidade de não deixar a bola passar é o experiente goleiro Rascifran. “Não podemos deixar eles respirarem, sabemos que eles (Nacional) têm grandes jogadores, muito rápidos ali na frente. Tem que marcar de perto e pressionar do primeiro ao último minuto. Tem que estar concentrado os 90 minutos, porque se levar um gol, vamos ser obrigados a fazer mais de dois”, disse Rasci.

Quatro vezes campeão amazonense, três delas por equipes do interior do estado (Grêmio Coariense, em 2005; Nacional, em 2007; e Penarol, em 2011 e 2012), o goleiro, que foi vice-campeão pelo Princesa em 2014, ainda não conquistou título por um clube de sua cidade.“Eu já fui feliz sendo campeão por equipes do interior, mas está faltando ser por um clube da minha cidade. Temos que entrar focados, sem desespero e fazer um grande jogo em busca desse resultado”, diz o jogador.

Hoje o único atleta natural da Terra da Ciranda a atuar no elenco titular do Tubarão (os outros dois, Fininho Manacá e Judá, são reservas), o goleirão fala sobre o significado dessa representatividade para ele. “Fico feliz de estar numa final, ser o único de Manacapuru (no time titular). Isso significa muito e é uma alegria muito grande pra minha família, minha filha, que está sempre comigo no estádio”, disse o jogador.

Por outro lado...

Mas de nada adiantará o Princesa fechar o gol se o ataque não marcar. Nos três jogos entre Naça e Princesa neste Barezão, foram cinco gol para o Leão e nenhum para o time do interior. O “homem das viradas”, Léo Paraíba não perdeu a confiança e promete dar trabalho para a zaga do Nacional nesta sábado. “Se me der espaço, vou buscar resolver”, disse o jogador, um dos heróis da classificação do Tubarão na semifinal diante do Fast Clube.A partida de sábado será transmitida ao vivo pela TV A Crítica.

Os ingressos estão no valor de 30 reais (inteira), vendidos na sede do Nacional, em Manaus, ou Toca do Tubarão, em Manacapuru.

Publicidade
Publicidade