Publicidade
Esportes
Craque

'Vamos ver no que vai dá': Presidente do Vilhena confirma que equipe permanece na Série D

Carlos Dalanhol falou com o CRAQUE e relatou as dificuldades que o levaram a entregar o clube na segunda-feira (24). Elenco de 14 atletas do Lobo do Cerrado fará comboio de caminhonetes para jogar contra Náutico-RR, em Boa vista 27/08/2015 às 16:45
Show 1
Presidente do VEC desistiu da disputa da Série D, mas elenco e comissão técnica querem ir até o fim.
Denir Simplício Manaus (AM)

Ainda não foi dessa vez que o Lobo do Cerrado deu seu último uivo no Brasileirão da Série D. Pelo menos é o que pretende o presidente do Vilhena Esporte Clube, Carlos Dalanhol. Conhecido como Gaúcho do Milho, o mandatário do VEC confirmou que entregou o clube no início da semana por problemas financeiros. No entanto, o restante do elenco, comissão técnica e torcedores da equipe não querem desistir da disputa.

“Tivemos uma reunião ontem (26). Expliquei mais uma vez a situação. Tínhamos 18 jogadores no time, mas dois estão lesionados e não jogarão mais. Outros dois não toparam a nova proposta que levei pra chegar até o final do campeonato. Então o VEC hoje só tem 14 atletas”, explicou o Gaúcho do Milho, apontando que só dispõe de dois goleiros e 12 jogadores de linha para o restante da temporada.

Na terceira posição no Grupo A1 do Brasileirão da Série D, com 5 pontos  – uma posição a frente do Nacional – o Vilhena ainda tem três jogos até o fim do campeonato. Mesmo com mais chances de classificação que o Leão da Vila Municipal, o presidente do Lobo do Cerrado acha que o time não tem mais condições de disputar o torneio.

“Entreguei o clube na segunda (24). Estou até doente de tanto falar com a imprensa. Amo meu time, gosto do que faço. Jamais abandonaria o VEC assim. Mas as coisas vão acontecendo e você vai perdendo as forças. Mais pra frente vocês vão ver. Muita coisa ainda vai explodir mais pra frente”, disse Dalanhol, ocultando fatos que o levaram a querer tirar o Vilhena do campeonato.

Saga até Boa Vista

No domingo (30), o VEC encara o Náutico-RR, em Boa Vista. Dalanhol afirmou que, como já havia tomado a decisão de deixar o clube, não reservou ônibus para levar a equipe de Vilhena até Cuiabá, no Mato Grosso – local onde a delegação pegará voo até a capital de Roraima.

“De ônibus são 12 horas até o aeroporto de Cuiabá. Nem reservei o ônibus, mas as passagens estão reservadas lá. Um goleiro tem uma caminhonete, um outro jogador tem outra... um rapaz da comissão técnica tem outra caminhonete. No total são quatro caminhonetes. Vamos sair às 23h, meia-noite. São oito horas de viagem. Vamos ver no que vai dá”, comentou o presidente do VEC, explicando a “odisseia” do time até chegar em Boa Vista.

“Depois que chegarmos lá, pegamos o avião e vamos pra Guarulhos, depois Brasília, Manaus até chegarmos em Roraima”, disse Dalanhol, revelando um temor: perder mais jogadores durante a viagem. “Nossa situação é difícil. Chegamos no fundo do poço. Estamos com salários atrasados. Tem medo alguns jogadores desçam em São Paulo e não embarquem mais”, comentou o mandatário, lembrando que alguns atletas moram no Sudeste do País.

A situação do VEC é tão precária que enquanto o CRAQUE conversava com o Gaúcho do Milho, o presidente estava no centro de treinamento do clube tentando resolver um “problema” com a água no CT. Na verdade a água acabara de ser cortada e até a casa dos atletas estava na “secura”. “Dá até vergonha falar, mas acabei de saber que cortaram a água do CT. Vim aqui ver isso. Tem uma conta de R$ 833 que não foi paga”, revelou.

Depois do duelo com o Náutico-RR será a vez de enfrentar o Nacional, no dia 6 de setembro, no Portal da Amazônia. Dalanhol deixou claro que, caso não tenha elenco suficiente para a partida, nem deixará o Nacional sair de Manaus. “Se não tiver como jogar vou avisar o Nacional. Não vou nem deixar o Nacional ter esse trabalho”, avisou.

“Sei que vamos ser penalizados. Passar dois anos sem disputar competições. Mas não tem jeito. Tem um grupo de torcedores na cidade tentando arrumar dinheiro pra pagar os jogadores. Mas tá difícil. Na segunda (31) te digo se vamos continuar, tá bom?”, finalizou Carlos Dalanhol, se despedindo pra tentar a religação da água do CT do Vilhena.


Publicidade
Publicidade