Domingo, 22 de Setembro de 2019
MANAUS

Vice em 2010 com o América, Giovanni quer ser campeão no Manaus

Presidente do Gavião do Norte, Giovanni Silva já esteve em uma final do Brasileiro Série D em 2010, com o América



WhatsApp_Image_2019-08-14_at_12.00.03_D65D74EB-7A3A-4535-8F2F-CC31C6128602.jpeg Foto: Janailton Falcão/Manaus FC
18/08/2019 às 08:10

De todo o corpo profissional do Manaus, um integrante conhece bem o clima de final do Brasileirão. Giovanni Silva, atual presidente do Gavião do Norte, possui passado de sucesso dentro do futebol amazonense. Ainda em 2010, como diretor de futebol do América, Giovanni fez parte da campanha que levou o time de Seu Amadeu à final da Série D. Na ocasião, o ‘Mequinha’ perdeu para o Guarany de Sobral-CE e terminou com o vice - o clube ainda perdeu a vaga na Série C por conta de escalação irregular. 

Agora com o verde do Manaus, Giovanni já está com o acesso “no bolso”. E com mais uma chance de fazer parte de um momento histórico do futebol amazonense, Giovanni não esconde o sentimento de realização. Com seis anos de vida, a ascensão rápida do Gavião do Norte tornou o clube o novo xodó da torcida baré.

Ressaltando o profissionalismo do clube caçula do futebol amazonense, o presidente Giovanni Silva acredita na conquista da Série D. “Temos convicção do trabalho que vem sendo feito, principalmente, nesses últimos três anos. Foram três títulos estaduais e ano passado ainda batemos na trave na Série D”, lembra Giovanni, em alusão aos jogos contra o Imperatriz-MA, no ano passado, quando o Manaus perdeu a vaga na Série C nos pênaltis.

E se o Manaus chegou até aqui - já com a vaga da Série C na mão -, muito influenciou todo o apoio do torcedor amazonense. No jogo do acesso, contra o Caxias, estiveram na Arena mais de 44 mil pessoas. Para domingo, os ingressos foram esgotados ainda na quinta-feira (15). “Satisfação enorme em saber que o povo do Amazonas não deixou de gostar do futebol. Ele vem e apoia mesmo. Agradeço aos torcedores que, no domingo, estarão empurrando o nosso time”, exaltou Giovanni.

Erros que ensinam

Durante a campanha nesta Série D, o Manaus jogou tanto na Colina quanto na Arena da Amazônia. Mas quando chegou a segunda fase e, consequentemente, os confrontos de mata-mata, todos os jogos aconteceram na Arena da Amazônia. Ao longo dos quatro jogos - contra Real Ariquemes-RO, São Raimundo-PA, Caxias e Jacuipense-BA - mais de 60 mil torcedores estiveram apoiando o Manaus.

Para o presidente do Gavião do Norte, em 2018, foi um erro o confronto contra o Imperatriz-MA não ter acontecido na Arena. Na ocasião, a vaga para a Série C estava em jogo, a partida aconteceu na Colina, e o Verdão da capital deixou a vaga escapar nos pênaltis. “Às vezes até converso com o Mitoso (Presidente de Honra do Manaus) e a gente se arrepende de não ter levado aquele jogo para a Arena. Este ano decidimos levar todos os jogos decisivos para a Arena”, afirmou.

De olho no futuro

Conquistando o título ou não, o Manaus já está com a vaga no Brasileiro Série C do ano de 2020 assegurada. Mais uma competição nacional que requer planejamento e movimentação nos bastidores em relação à formulação do elenco, entre renovações e possíveis contratações. Mas agora, para o dirigente, é momento de focar no Brusque. 

“Por enquanto a gente só pensa na disputa do título. Tudo sobre a estrutura do ano que vem, só após a final de domingo (hoje)”, completou o cartola. Jogo da final inicia às 15h.

News ac1 c11005fb a54c 4884 8608 3c793bab9e30
Repórter de A CRÍTICA

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.