Publicidade
Esportes
RADICAL

Video part do skatista amazonense Maikon Quaresma faz sucesso no mundo do skate

Vídeo de oito minutos de duração demorou três anos para ser concluído, e as imagens foram gravadas no Amazonas, Pará e até em São Paulo e Brasília. 23/03/2017 às 15:18 - Atualizado em 23/03/2017 às 15:29
Show 1207607
Maikon Quaresma protagonizou manobras que ficaram imortalizadas na 'video part' Amazônida. (Foto: Matheus Carvalho/divulgação)
Jéssica Santos Manaus (AM)

Como iríamos gostar se todos pudessem ver as belezas da nossa região e pudessem conhecer nossa cidade e nossos talentos, não é? Pois o cenário da cidade de Manaus faz parte do enredo do curta-metragem Amazônida, uma video part que apresenta altas manobras do skatista manauara Maikon Quaresma. O curta foi lançado este mês e, como diriam os skatistas, conseguiu mandar um flip 360, ao movimentar o panorama do skate brasileiro, chegando até ao maior site de vídeos de skate do mundo, o Hellaclips.

Foram  aproximadamente três anos de trabalho entre captar, editar e finalizar as imagens do trabalho realizado pela equipe Ulyck86, que acompanhou o skatista Maikon Quaresma por municípios do Estado do Amazonas, Pará e, também, em São Paulo e Brasília.

Após tantas manobras especiais e tanto trabalho envolvido na produção do curta, o resultado visto na internet atraiu a atenção da mídia especializada a nível nacional, gerando entrevistas para sites conceituados de skate e grande interesse dos praticantes brasileiros. Nas redes sociais, o sucesso é notado através do número de visualizações, que ultrapassam 50 mil.

Para o protagonista do vídeo, Maikon Quaresma, essa repercussão aconteceu pelo fato de o skate brasileiro ser focado no eixo sul e sudeste, onde estão situadas as indústrias do esporte. “Trabalhamos sério e temos profissionais de qualidade para produzir nossos vídeos. Poder mostrar um skate de qualidade, aliado às características da nossa região, enriqueceu o resultado final. Acho que foi isso que chamou a atenção”, explicou Maikon, explicando que poucos skatistas conheciam o nível do esporte na região norte.

Além dos grandes sites nacionais, o ‘Amazônida’ também foi destaque no Hellaclips, o maior canal de vídeos de skate da atualidade. “Nem acreditei quando vi que o canal aprovou a publicação do nosso vídeo e atraiu a atenção de skatistas mundo afora”, disse Maikon, 
satisfeito.

Rumo à profissionalização

Determinado, Maikon sabe bem o que quer para o futuro. “Quero viver só do skate com dedicação exclusiva ao esporte”, afirmou. 
Daí veio a principal motivação para a realização do vídeo. Para se profissionalizar, Maikon precisa cumprir as exigências da Confederação Brasileira de Skate (CBSk), que incluem boas qualificações em campeonatos amadores, o lançamento de uma vídeo part, como a que ele acabou de fazer, além da concessão de entrevistas para grandes veículos especializados.

“Ano passado fui bem colocado em todos os campeonatos que participei, e pretendo manter isso também este ano. A vídeo part foi lançada e, por consequência, gerou boas entrevistas. Estou no caminho para me profissionalizar, e agora é só acertar detalhes com meus patrocinadores”, finalizou o skatista.

Apaixonado pelo mundo do skate, Ulysses Athaíde foi um dos responsáveis por captar as belas imagens vistas na vídeo part de Maikon. “O Maikon é um dos caras mais incríveis do skate brasileiro. Porém, por estar longe do eixo Sul-sudeste, onde está a mídia especializada, ela aparece pouco. Mas, com o vídeo, quebramos essa barreira. Porque além da chuva de manobras, apresenta nossa região, e isso chama a atenção”, disse ele.

Ulysses explica que uma video part como a Amazônida leva anos para ser produzida. “Envolve viagens, produções, encrencas com seguranças, ir a lugares proibidos, e uma série de outras coisas que não ficam explícitas nas manobras, mas quem é do skate entende”, destaca Ulysses Athaíde.

Trabalho rende bons frutos

O vídeo chegou às 114 mil visualizações, através do Facebook, como resultado de um árduo trabalho feito na produção e edição do vídeo. Quaresma conta como é difícil realizar uma produção desse nível em um cenário onde os patrocínios das grandes marcas não chegam. Ele também destaca o processo de solidificação pelo qual passa o mercado local com o aparecimento de marcas amazonenses.

“Um vídeo assim custa dinheiro porque demanda equipamentos, profissionais, viagens, e outros gastos. Uma produção dessa só é possível realizar com um bom apoio. Nisso eu fui recompensado em ter meu trabalho reconhecido pela Ulick86”, contou o protagonista. As imagens foram feitas por Ulysses Athaíde e Wesley Silva, e o vídeo ainda conta com a trilha sonora das bandas amazonenses Zona Tribal e Casa de Caba.

Como recompensa pela superprodução e pelas manobras incríveis, feitas em cenários de tirar o fôlego, a Ulick86 teve o vídeo divulgado em diversas páginas, incluindo a tabaskates.com, cemporcentoskate.com, triboskate.ativo.com, hellaclips.com, redbull.com.br e blackmediaskate.com.

Publicidade
Publicidade