Publicidade
Esportes
Águas abertas

Vítor Gadelha viaja quinta (20) para competir o Brasileiro de Maratonas Aquáticas

O nadador amazonense compete para chegar ao pódio, e já pensa nos próximos desafios que terá pela frente. 20/10/2016 às 17:18 - Atualizado em 20/10/2016 às 18:30
Show 14741130 1193169450745006 537975324 n
Vítor Gadelha já garante o vice-campeonato, neste final de semana, em Salvador. (Foto: Clóvis Miranda)
Jéssica Santos Manaus - AM

Vítor Gadelha, 19, irá disputar, no próximo sábado (22), o XXI Campeonato Brasileiro de Maratonas Aquáticas, que será realizado na praia de Inema, Salvador – BA. Será a 5ª e última etapa da competição, uma meia-maratona, na distância de cinco mil metros. O nadador amazonense viaja nesta quinta-feira (20) à noite para a competição.

Vítor já está com a segunda colocação garantida na classificação geral de sua categoria (Júnior), mas o objetivo dele vai além do pódio: “quero fazer o meu melhor, já me preparando para as próximas provas”.

O circuito acaba agora, mas Vitor ainda terá muita água pela frente, este ano. Isso porque ele vai nadar 24km, no trajeto Bertioga-Santos, na famosa prova 14 Bis. Depois, ele ainda terá a maratona de aproximadamente 9km, em Manaus, na Rio Negro Challenge Amazônia, e para fechar o ano, o Desafio do Leme ao Pontal, de 35km, no Rio de janeiro.

A preparação do atleta para essa prova não foi específica. O Campeonato Brasileiro será uma meia-maratona, e ele costuma fazer treinos maiores para as grandes maratonas aquáticas. “Faço um volume de 60km por semana, visando as provas mais longas, então essa mais curta será até um pouco mais difícil para mim. Além do treino dentro d’água, também faço musculação, e acompanhamento da nutricionista Raphaella Cabral. Nadador da Aquática Amazonas, Vítor treina com o supercampeão de maratonas aquáticas, Samir Barel.

Apesar de só treinar em água doce, Vítor prefere a água salgada do mar. “Eu gosto de nadar no mar, apesar das dificuldades, porque a água do rio é mais pesada”. O maratonista disse ainda que a maior dificuldade da prova em Salvador será o calor, mas acredita que para ele é até melhor, já que é adaptado às altas temperaturas.

As provas de maratona aquática têm suas peculiaridades. Vítor tem sua estratégia: “geralmente essa provas são num circuito de duas voltas, e eu gosto de sair mais forte no início, segurar um ritmo confortável até encaixar o nado, e depois ir fazendo um progressivo até o final”.

Publicidade
Publicidade