Publicidade
Esportes
ESPORTE E DETERMINAÇÃO

Promessa é dívida! Conheça histórias de quem cumpriu e teve mais saúde

Erik Maciel estava doente, tornou-se triatleta e recuperou a saúde após promessa de fim de ano. Já Ana Laura, após uma lipoaspiração, mudou seu estilo de vida com a musculação 31/12/2017 às 07:11
Show ana laura
Com a orientação de profissionais, entrevistados afirmam que é possível atingir o objetivo e ter qualidade de vida (Fotos: Antônio Lima e Winnetou Almeida)
Jéssica Santos Manaus (AM)

É bom acreditar que com um ano novo chegando, podemos mudar e nos tornar melhores. Assim, muitas pessoas prometem começar a praticar uma atividade física, emagrecer, etc. Mas será que elas conseguem cumprir suas promessas? Encontramos pessoas que, sim, levaram a sério, e deram exemplo de como atingir objetivos em 2017. São as histórias de Erik Maciel, 40, e Ana Laura Leite, 33, que mudaram seus hábitos com a ajuda de profissionais, da boa alimentação, e da atividade física, como grande motivadora.

Erik mudou de vida depois de sofrer um sério problema de saúde. “Na última virada do ano, eu já estava pensando em praticar um esporte e, em janeiro, adoeci. Sou engenheiro mecânico, vinha sofrendo de estresse e, durante uma reunião, senti fortes dores no abdômen, me levaram no hospital, e lá eu descobri que estava com pancreatite, com muita gordura no fígado”, conta Erik.

Seriamente doente, ele resolveu mudar. “Fiquei uma semana sem trabalhar, me recuperando, e foi duro, não tive a visita de quase ninguém do trabalho, só de familiares, e despertei para a ideia de fazer um esporte, pensando que estava começando o ano, e que minha vida não estava legal”, relatou ele.

O médico de Erik disse que ele estava com triglicerídeos, colesterol e peso muito acima dos limites. Foi quando ele começou a tratar a doença, fez os exames necessários e, em seguida, foi em busca de um esporte.

“Fui procurar na internet, já tinha visto uma prova de triathlon em Manaus, e achei que se era para eu fazer algo, teria que ser um pouco radical, e fiquei procurando um treinador. Foi quando encontrei o ‘Pit’ (João Pereira) por acaso. Ele estava nadando na Ponta Negra e eu expliquei a minha situação. Fui fazer um teste de natação no rio mesmo e, depois do primeiro treino, ele falou que em dois meses teria uma prova de triathlon em Manaus, e que eu iria fazer essa prova. Eu disse que ele estava louco, mas ele falou para eu não me preocupar com tempo nem colocação”, relembra Erik.

“Meu maior medo era a rejeição porque um gordo chegar numa equipe de triathlon... Mas não vi isso, vi todos muito unidos e me dando força”, relata o engenheiro, que no início ficou apreensivo em iniciar o novo esporte.

Foram dois meses de treinos intensos até o dia da competição, e Erik começou a perder peso. “Quando chegou o dia da prova, eu tinha perdido 22 kg, estava bem mais magro, e peguei gosto porque fiz um tempo abaixo do esperado, 1h35”, conta ele.

Depois disso, Erik fez a Meia-maratona de Manaus, e já pensa em novos desafios para 2018. “Estou buscando bike nova, me inscrevi para o Ironman 70.3 Maceió (meio Ironman), mas meu objetivo é fazer o Ironman na distância total, uma meta muito difícil, que acho cedo para tentar agora”, explica Erik, que está cada vez mais dedicado ao esporte, já procurou nutricionista, e fala de como sua vida está hoje, após um ano.

“Foi um ano de mudanças, sou muito mais feliz hoje, e quero permanecer nesta nova vida. Só pensava em trabalho 24 horas por dia, minha alimentação era horrível, e tudo mudou”.

Mais foco

Ana Laura sempre praticou atividades físicas (funcional, dança de rua, academia), mas conta que nunca conseguiu se manter assídua e com foco numa alimentação saudável. Assim, sem conseguir os resultados almejados, Laura decidiu passar por uma lipoaspiração no ano passado, mas, ao invés de ficar com o corpo dos sonhos, ela acabou engordando depois.

“As coisas saíram de controle. Antes da lipo, meu peso máximo foi 77 kg. E este ano, minha meta era manter o foco, mas cheguei a pesar 84,9, e foi quando tive um estalo pra realidade. Minhas roupas não cabiam mais, já estava comprando roupas GG. Não estava nem um pouco a vontade com meu corpo, não tirava mais fotos. Além disso, sentia que minha saúde tava ladeira abaixo”, relata.

Foi quando Laura decidiu que havia chegado ao seu limite, e que seu ano deveria ser diferente. “Procurei um personal trainer, o Alexandre Vieira, para que funcionassem para mim as idas à academia”, explicou ela.

E tem dado certo! “Desanimei algumas vezes, mas recuperava o estímulo mais rápido à medida que o Alexandre ia me explicando como o corpo funcionava”, disse ela, que também buscou ajuda da nutricionista Fernanda Piva.

“Ela me mostrou que eu podia gostar de comer coisas saudáveis sem fazer tanto esforço e sacrifício, e não tem um dia em que eu não coma um prato de salada”, garante.

Laura afirma que perdeu 8 kg este ano e, embora sua meta fosse perder mais ainda, ela está feliz. “Tô bem tranquila com isso, porque sei do meu esforço, e sei também que não há milagre. Que não vai ter um ‘Pronto. Missão cumprida, agora posso voltar a ter a vida que tinha antes’. É questão de reeducação, adaptação a um novo estilo de vida e aceitação. Todo resto será consequência disso”.

Publicidade
Publicidade