Publicidade
Esportes
Volante

Volante que deu direção ao Brasil

De anônimo a peça importante da Seleção Brasileira, Luiz Gustavo confia na vitória sobre espanhóis 30/06/2013 às 14:56
Show 1
Com Luz Gustavo, Brasil encontrou equilíbrio no meio-de-campo
Leanderson Lima ---

 Volantes. Tidos como brucutus, violentos e até chamados de cabeças de área, quando na verdade muitos gostariam mesmo de chamá-los de “cabeças de bagre”. Na cultura do futebol brasileiro, sempre voltado muito para o ataque, esta figura quase nunca tem seu valor reconhecido.  Já no futebol europeu a história é diferente.

E foi lá que este paulista de Pindamonhangaba conquistou o mundo ao se tornar campeão da última edição da Liga dos Campeões da Europa, opção sempre utilizada no banco de reservas do todo poderoso Bayern de Munique. E foi este desconhecido volante para grande maioria da torcida brasileira, revelado pelo modesto Corinthians de Alagoas, que deu uma nova direção ao sistema defensivo do Brasil.

O jogador do Bayern não aparece para o povão como Paulinho, que sempre está fazendo seus gols, mas sem ele, dificilmente a Seleção Brasileira teria chegado à final da Copa das Confederações. A história deste brasileiro de origem humilde é a prova de que não existe um filme de sucesso sem um grande coadjuvante.

 Antes do sucesso

 Antes de despontar em um dos clubes mais importantes do futebol mundial, Luiz Gustavo teve de ralar e muito. Para ele, foram os dias de luta que forjaram o grande jogador que ele se tornou. “Aquilo foi essencial na minha preparação, para eu poder suportar as coisas boas que estão acontecendo agora, sem deixar que eu me iluda. Aquilo foi um tempo muito especial na minha vida que eu valorizo até hoje”, comenta.

Após chamar a atenção do Hoffenheim da Alemanha atuando pelo CRB, o volante iniciou sua grande ascensão no futebol. Versátil, com capacidade de atuar pela lateral esquerda e com boa saída de bola no meio, não parou de evoluir, até que chegou na Seleção Brasileira.


Publicidade
Publicidade