Quarta-feira, 24 de Julho de 2019
UFC 199

Weidman emite nota para fãs depois de corte em revanche contra Rockhold

Agora, o ex-campeão dos médios passará por uma cirurgia e ficará de fora do UFC 199



weidman.jpg Revanche entre Weidman e Rockhold seria a principal luta do evento. (Foto: Reprodução/Web)
18/05/2016 às 20:48

Após o anúncio do corte de Weidman na revanche pelo título dos médios do UFC diante de Luke Rockhold, no UFC 199, que acontece dia 4 de junho, em Las Vegas. O americano divulgou uma nota oficial explicando seu afastamento, uma hérnia de disco extrusa em um nervo do pescoço, com uma tentativa de infiltração sem efeito, o lutador resolveu escutar sua família e amigos, a pasar por uma cirurgia. 

Veja a nota publicada pelo lutador, em português:

Eu só quero que meus fãs saibam os detalhes do que aconteceu porque quero eles envolvidos o máximo possível, é o minimo que posso fazer para devolver o amor e torcida que recebi agora e em todos os anos.

Para todos que falam mal de mim agora, entendo a sua opinião, mas só quero que vocês saibam que eu tentei não recusar de qualquer forma. Nunca estive em melhor forma, mais saudável, motivado, confiante e animado para um luta em minha vida. Também me senti como o melhor lutador que já fui e fiz alguns bons ajustes.

Desde o wrestling no ensino médio, meu pescoço, sempre de vez em quando ficava duro. Todo atleta que compete em qualquer esporte já passou por isso, mas isso passa depois de um ou dois dias, nunca foi um problema pra mim.

Então, recentemente, fiz sparring em uma noite de quinta e nada drástico aconteceu. Depois do sparring, meu pescoeço estava normal e minha equipe discutiu o quão bom eu sentia como um lutador. Na manhã seguinte, acordei com o pescoço duro e uma dor no nervo do pescoço e do braço, mas achei que passaria em um ou dois dias. Usei a dor, então fui para o treino na sexta e me senti bem, mas ficou um pouco mais grave na noite de sexta e na manhã de sábado. Não consegui dormir ou ficar confortável na minha cama, então fui pro sofá, tentando ficar confortável. Quando acordei no sábado, dia de sparring, tive um vertigo que nunca experimentei antes. Estava perdendo meu balanço, não estava andando reto e meu pescoço estava pior do que nunca. Então, me assustei e fui para um hospital, onde me mandaram para a ressonância magnética, e descobriram uma extrusão na hérnia, que estava preso em um nervo que fecha o triceps e a area do ante braço, então imaginei que tomaria uma anestesia e estaria bom novamente, sem chance na minha cabeça de sair da luta.

O primeiro médico que fui em Nova Iorque ficou surpreso com o tamanho e disse que não estava otimista em me dar uma injeção e pensou que uma cirurgia era a solução, mas vi que ele era um cirurgião e informar ele sobre quão grande essa luta é, era zero chance de fazer a cirurgia. Então, ele me mandou para um médico que aplica injeções e vendo minha ressonância, concordou que as chances da anestesia reviverem aquele nervo seriam minimas, mas eu ainda estava otimista que eu conseguiria passar por aquilo.

Alguns dias se passaram e eu consegui a aprovação para a injeção, então continuei a preparação fisisca e consegui trabalhar o possível perto do pescoço até me darem a anestesia.

Após finalmente conseguir a anestesia, nada mudou. Durante esse tempo, não consegui dormir ou fazer algumas das atividades do dia a dia por causa da dor que passava. Eu me senti melhor treinando, mas não consegui passar o dia e a noite sem analgésicos ou outra medicação para tentar para a dor. Tive outra anestesia marcada para a quinta, mas os médicos disseram que não faria diferença. Eu ainda planejei lutar até ontem, quando meus treinadores e amigos colocaram o pé para trás. As pessoas que mais confiram em mim não queriam que eu lutasse, então antes de tomar a segunda anestesia, decidi dar o UFC um tempo para achar outro adversário para Luke. Óbivo que era uma luta maior pra mim, que estava mais treinado e mais inteligente que sempre, mas Deus tem outros planos para mim.

Eu vou precisar de cirurgia, de qualquer jeito, vou ter que me encontrar com os cirurgiões para ver o que eles vão fazer. A boa notícia é que o c6-7 está baixo no pescoço, então vou ter total movimento e voltarei melhor do que nunca. Serão seis a oito semanas de recuperação para o disco sair e 12 semanas para uma fusão. Mesmo que seja muito difícil pra mim, vejo um lado claro nisso agora, vejo uma linha em que estou focado que o tempo vai me permitir lutar em Nova Iorque em novembro.

Quero pedir desculpas a minha família, amigos, treinadores, empresário, patrocinadores, fãs, UFC e é claro, o Luke por decepcionar vocês. Prometo voltar e pegar aquele cinturão. Quero também agradecer publicamente a todos pelo amor e torcida incondicionais por mim, e especialmente agradecer ao meu fisioterapeuta e médicos pela ajuda.”

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.