Publicidade
Esportes
BOM RENDIMENTO

Artilheiro do Princesa, Weverton diz que está na melhor fase de sua carreira

Atacante do Princesa fala que a paciência foi fundamental para chegar à grande fase na carreira 05/07/2017 às 01:04 - Atualizado em 05/07/2017 às 01:05
Show zcr0205 205 p01
Foto: Evandro Seixas
Camila Leonel Manaus (AM)

Com 1,64 de altura, o baixinho Weverton se transformou em um verdadeiro gigante com a camisa do Princesa ao longo da temporada. De reforço que chegou na última hora, o atacante se tornou artilheiro da série D. Com seis gols marcados ele chamou a responsabilidade após a saída de Michell Parintins, um dos esteios do time do Princesa do Solimões.

Mas as marcas não deslumbram o jogador que, ao falar dos gols, frisa a importância dos treinos. “Venho treinando finalizações e acho que os gols estão saindo na hora certa”, diz o jogador.

Vindo do Holanda, o jogador teve passagem pelo Rio Negro e Nacional. No último, Weverton era reserva e marcou dois gols em 11 jogos. Chegou ao Princesa em 2016, onde também foi reserva, mas a história começou a mudar em 2017. Titular e artilheito, ele comemora a evolução nos últimos anos.

“No Nacional tive uma passagem quando estava com 20 pra 21 anos e não tinha muita experiência e lá, já tinham jogadores rodados e tive paciência para esperar a minha vez. De dois anos para cá estou sendo destaque do Princesa trabalhando muito para isso e Deus está me abençoando”, disse o jogador de 23 anos que fala que da doação em campo para isso acontecer.

“Eu estou dando meu melhor e a cada jogo que passa eu dou o meu melhor para o Princesa, que é um grupo bom de  trabalhar e os jogadores me dão muita confiança e o maior apoio para ir para cima, tentar chute de fora da área e os gols estão saindo na hora certa. Vejo que estou na melhor fase da minha carreira”, completou.

Carreira internacional

O jogador foi um dos últimos a se integrar com o grupo no início da temporada. Chegou em Manacapuru uma semana antes da partida contra o Internacional pela Copa do Brasil. O motivo era a tentativa de uma carreira na Europa, mas detalhes como documentação e período de janela de transferências que havia expirado  atrapalharam os planos do atleta em jogar na Itália ou no Catar.

Porém, de volta a Manacapuru, ele fala que o foco agora é conseguir o acesso. “Agora é só focar e classificar. Eu, particularmente, tô confiante”, crença  essa que é reforçada pelo apoio da torcida. “Os torcedores aqui acolhem o jogador. A gente passa na rua e os torcedores sempre falam ‘e aí, quando vai fazer um gol?’ ,‘como que está?’. Então isso motiva os jogadores, nos alegra”, finalizou.

Publicidade
Publicidade