Publicidade
Esportes
Craque

Zé Marco admite boa atuação do Nacional e acha que segunda final será mais complicada

Treinador do Princesa do Solimões lamentou ter perdido o jogo em lance de bola parada e afirmou que vai trabalhar duante a semana pra não errar na decisão do próximo sábado (20) 14/06/2015 às 19:59
Show 1
Zé Marco admitiu que o nacional foi melhor no primeiro duelo das finais do Amazonense.
Denir Simplício Manaus (AM)

“Ficou mais difícil”. Pode até parecer lamentação, mas a frase do treinador do Princesa do Solimões, Zé Marco, é de reconhecimento ao Nacional pelo bom futebol apresentando no sábado (13), na primeira partida das finais do Barezão. O técnico do Tubarão admitiu que sua equipe não rendeu o esperado e enfatizou que vai trabalhar duro durante a semana para tentar reverter a situação de seu time.

“Você já sai na desvantagem desde o início do jogo e depois ainda sai derrotado... as coisas se complicam ainda mais. Mas vamos estudar o que vamos na semana pra voltar melhor no segundo e tentar o título”, analisou Zé Marco.

O comandante do Tubarão foi humilde em reconhecer o melhor desempenho do Naça no duelo de sábado. “No contexto geral do jogo, acredito que o resultado foi justo no que ocorreu na partida. Agora não é só ganhar, mas com dois gols de diferença. Assim como aconteceu com o Fast”, disse o técnico, relembrando da semifinal contra o Rolo Compressor onde teve de vencer a partida por dois gols de diferença pra chegar a final.


No entanto, Zé Marco analisou que o Leão da Vila Municipal é uma equipe mais forte que a do Tricolor de Aço. “Acredito que vai ser com mais dificuldade (segundo duelo com o Naça). Já que eu vejo a equipe do Nacional um passo a frente que a do Fast”, explicou.

Bola parada definiu

Zé Marco comentou o início do jogo e percebeu que o adversário jogou boa parte do primeiro tempo esperando o erro do Princesa do Solimões. “Nós sabíamos que no início do primeiro tempo o Nacional iria jogar atrás da linha da bola e tentar o gol no contra-ataque. Mas não conseguimos encaixar o nosso jogo”, lamentou o treinador.

“Por incrível que pareça, com todas as chances que nós tivemos e que o Nacional teve, nós mais uma vez tomamos um gol em lance de escanteio... de bola parada”, lembrou o treinador, admitindo a falha do sistema defensivo de sua equipe.


Nacional e Princesa do Solimões voltam ao gramado da Arena da Amazônia no próximo sábado, às 15h, para fazer o segundo e decisivo jogo das finais do Barezão 2015. O Leão da Vila leva a taça até com a derrota por um gol de diferença. Para levar o caneco para Manacapuru, o Tubarão terá de vencer o Naça por dois tentos ou mais.




Publicidade
Publicidade