Publicidade
Amazônia
SEGURANÇA

Agentes ambientais do Médio Solimões vêm a Manaus pedir fiscalização em RDSs

Essa é a segunda vez que agentes ambientais voluntários de Mamirauá e Amanã vêm à capital amazonense em busca de melhores condições nas reservas 19/02/2018 às 11:56
Show mamiraua
(Foto: Amanda Lélis / Instituto Mamirauá)
João Cunha - Instituto Mamirauá

Imagine uma área de mais de 3 milhões de hectares, maior do que muitos países, dentro do Amazonas. Esse é o tamanho do território para o qual agentes ambientais pedem mais proteção da administração pública. Uma comitiva de sete agentes ambientais voluntários chegou a Manaus nesse domingo (18) para uma série de reuniões com as instâncias de poder regionais e federais. A reivindicação principal é a fiscalização efetiva nas Reservas de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá e Amanã, localizadas na região do Médio Solimões, interior do estado.

Essa é a segunda vez que agentes ambientais voluntários de Mamirauá e Amanã vêm à capital amazonense em busca de melhores condições nas reservas. Em abril de 2017, um grupo visitou a Assembleia Legislativa, o Batalhão de Polícia Ambiental, a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (SEMA) e o Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), expondo irregularidades dentro dessas unidades de conservação, como a pesca ilegal.

“Os agentes vão mais uma vez denunciar a questão de segurança dentro das reservas, pois falta fiscalização das autoridades especializadas. O acesso a serviços básicos para os moradores, como educação e saúde, também são temas importantes que o grupo vai trazer”, explica Hudson Araújo, técnico do Programa de Gestão Comunitária do Instituto Mamirauá.

Até o momento, estão confirmados compromissos com a superintendência do IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) no Amazonas e com representantes da administração regional. Os agentes esperam, até o final da semana, ter reuniões com representações como a Secretaria Estadual de Segurança Pública e a Superintendência da Polícia Federal, para expor os problemas vividos por quem mora nas reservas.

Agentes Ambientais

Criadas na década de 90, as Reservas de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá e Amanã são áreas de proteção ambiental que buscam unir conservação da natureza com qualidade de vida das populações humanas que lá vivem. Os agentes ambientais são moradores da reserva que realizam um trabalho voluntário de educação, proteção, vigilância e sensibilização ambiental junto às comunidades locais.

Atualmente, existem mais de 100 agentes ambientais voluntários na região das reservas Mamirauá e Amanã. A capacitação e credenciamento de agentes é feito pela SEMA-Amazonas, com apoio do Instituto Mamirauá.

O Instituto Mamirauá, unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), apoia as ações dos agentes ambientais voluntários na região através do projeto Mamirauá: Conservação e Uso Sustentável da Biodiversidade em Unidades de Conservação (BioREC). O projeto conta com recursos do Fundo Amazônia, gerido pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Publicidade
Publicidade