Quinta-feira, 25 de Abril de 2019
publicidade
1.gif
publicidade
publicidade

Amazônia

Amazonas Energia avalia propostas para construção de nova usina a gás

Pesquisas apontam que o futuro do setor energético mundial será a geração de energia limpa através de matrizes sustentáveis. Empresa, entretanto, prevê construção de nova usina termelétrica em Manaus.


01/06/2012 às 21:41

A Eletrobrás Amazonas Energia anunciou na manhã desta sexta-feira (1º), em Manaus, uma a abertura das propostas comerciais de empresas habilitadas a operar a construção da nova usina a gás chamada provisoriamente de Mauá 3. O projeto será executado mediante o Processo Licitatório da Concorrência Internacional 654/2012 previsto em edital.

Participam do certame os consórcios: CST Mauá, Isolux, MPE/EBE - Iberdrola, e as empresas Andrade Gutierrez e Sumitomo Corporation. Nessa etapa, a Eletrobras Amazonas Energia irá avaliar as propostas comerciais e condições técnicas de cada empresa e depois, divulgar o resultado de cada proposta.

De acordo com a Comissão de Licitação, a expectativa da empresa é de poder anunciar o nome do vencedor do processo licitatório em um prazo de 14 dias. "Após a divulgação do vencedor será feita a assinatura do contrato. A partir daí, será dado início às obras e esperamos que isso aconteça até o mês de julho, dentro do trâmite normal do processo”, explicou o gerente de Assessoria de Licitação e Contração da empresa, Valdeni Batista Milhomens.

Para o diretor de Geração, Transmissão e Operação para a Capital, Tarcísio Estefano Rosa, a conclusão do processo licitatório da nova usina a gás pode ser considerada um grande passo, uma vez que, o objetivo da empresa é garantir a utilização de 2.350.000 m3 de gás natural da Bacia de Urucum, com a nova usina.

publicidade

“Assim que a nova usina estiver pronta, estaremos garantindo maior produção de energia elétrica com uma matriz menos poluente, aliada à chegada do Linhão de Tucuruí”, declarou.

Mauá 3

Mauá 3 está orçada em cerca de R$ 1 bilhão e a primeira fase tem previsão de entrar em operação até abril de 2014. A nova usina terá potência local instalada efetiva mínima de 350 MW e máxima podendo chegar até 570 MW.

A empresa vencedora será aquela com menor preço e o critério de julgamento será o de menor custo total de geração (menor preço por MWh). O empreendimento será construído no terreno ao lado de onde funciona hoje a Usina Termelétrica Mauá (UTE Mauá), no bairro do Mauazinho, na Zona Leste de Manaus.

publicidade
publicidade
Após impasse, Cade autoriza venda da Eletrobras Amazonas Energia a consórcio
Minas e Energia abre processo para investigar rompimento de barragem
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.