Domingo, 24 de Janeiro de 2021
ALTERNATIVAS

Aplicativo quer ser o 'AirBnB' da pesca esportiva e unir pescadores e comunitários

A demanda por tecnologia na área surgiu a partir da análise da procura por lazer prático e seguro, que é altamente rentável para as comunidades do Amazonas



app_77A43EF1-E3FA-42AB-A9BA-698284A92615.jpg (Foto: Junio Matos)
14/11/2020 às 10:33

A pesca esportiva é um dos segmentos que mais crescem no Amazonas graças à extensa bacia fluvial e diversidade de rios e lagos. Segundo o Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), somente no ano de 2019, a procura por licença de pesca amadora cresceu 46% em relação ao ano anterior. E em meio à pandemia, a pesca esportiva ganhou mais espaço para fomentar a economia do Estado no setor turístico.

Pensando nisso, a Fisggar, plataforma online e modelo de negócio de impacto desenvolvido dentro da incubadora de negócios da Fundação Amazonas Sustentável (FAS), pretende viabilizar a comunicação entre pescadores esportivos e negócios locais do ramo de pesca. A demanda por tecnologia na área surgiu a partir da análise da procura por lazer prático e seguro, que é altamente rentável.



Segundo Wildney Mourão, coordenador de Empreendedorismo da FAS, o trabalho de apoio para a área de negócios e empreendimentos já é desenvolvido desde 2015 e, devido ao cenário atual, medidas que contemplam a área econômica do estado são ainda mais necessárias.

“Diante da pandemia, a gente pensou numa estratégia que fosse efetiva. Fizemos uma busca e encontrei o Marcelino, empreendedor da Fisggar, que tinha uma ideia de criar uma plataforma de trabalho na pesca esportiva sustentável e então refinamos essa ideia. A ideia era de uma plataforma que conectasse esses pescadores do Brasil e do mundo com lugares de pesca daqui”, conta.

Inovação no turismo

O objetivo da plataforma digital é principalmente criar uma melhora na comunicação de pescadores e negócios, além de alcançar mais pessoas que queiram se aventurar na prática esportiva, contemplando a era da digitalização e informação. O modelo de negócio foi criado para atender a demanda de empreendedores, que foram consultados a respeito do cenário local e expectativas.

“Ninguém fez nada de cabeça, conversamos com a comunidade e os empreendedores, explicamos os benefícios e todos eles compraram a ideia. Não existe uma plataforma igual a essa no Brasil e a batizamos de ‘Airbnb da pesca esportiva’. Estamos muito contentes de termos contribuído para o desenvolvimento regional”, diz Wildney.

O Amazonas é pioneiro no desenvolvimento da pesca esportiva de forma sustentável. Três Unidades de Conservação (UC) se destacam pelo desenvolvimento da pesca esportiva: as Reservas de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Rio Negro, Matupiri e Uatumã, que têm na atividade seu principal ativo econômico.

Segundo a Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema), anualmente a modalidade atrai cerca de 25 mil pescadores para o estado e movimenta mais de R$ 250 milhões na economia.

Pesca controlada protege espécies

Adeptos da pesca esportiva acreditam que o incentivo ao segmento pode, além de alavancar a economia, proteger o meio ambiente O esporte não é só uma forma de lazer, mas também uma maneira de manter a reprodução das espécies. Segundo Danilo Germano, amante da pesca esportiva, o segmento é fundado, sobretudo, no respeito à natureza e ao peixe. Ele explica, ainda, que o fomento da pesca no Amazonas é extremamente importante neste momento, uma vez que, no passado, que não havia tanto incentivo neste setor.

“Infelizmente, hoje, você precisa ir cada vez mais longe para capturar bons exemplares. Por falta de incentivo estatal, a população ainda não se atentou que o peixe gera muito mais dinheiro vivo do que morto. É um negócio milionário, então é muito necessário o incentivo para a organização dessa atividade”.

Ele complementa: “Se o ribeirinho matar o peixe, acaba ganhando poucos reais por um exemplar. Mas com a pesca esportiva, com o pesque e solte, vai ganhar sempre com aluguel de bote, motor, prestando serviço como guia/piloteiro e até mesmo podendo montar uma pousada para pernoite dos pescadores”.

Fisggar

Analisando esse mercado otimista para integrar mais pessoas a essa prática, a Fisggar reúne 11 empreendimentos de turismo com o propósito de facilitar a comunicação com os amantes do esporte. “Meu objetivo é fazer com que esses empreendedores consigam não apenas trabalhar com plataformas de inovação, mas trazer um modelo onde possam ter lucro cortando atravessadores e se relacionando de forma digital com seus clientes”, finaliza Marcelino Macedo, criador do app. Divulgação/Acervo pessoal Danilo em expedição em Santa Isabel do Rio Negro, onde alcançou o próprio recorde com um tucunaré de 85cm


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.