Terça-feira, 22 de Outubro de 2019
Árvores que sofrem com calor

Árvores de Manaus castigadas pelo verão

As árvores adultas possuem um sistema de proteção contra as altas temperaturas mecanismo que as espécies mais novas vão desenvolver



1.jpg Mudas adultas plantadas nas margens do igarapé do 40, na Cachoeirinha, sofrem para conseguir sobreviver ao calor
24/09/2013 às 10:57

Enquanto algumas árvores que estão na zona urbana de Manaus possuem mecanismos para sobreviverem às altas temperaturas registradas nos últimos dias, outras precisarão de mais atenção para resistir à condição climática nesta época do ano na cidade. Caso contrário, nem chegarão à fase adulta.

“A alta temperatura deixa as árvores adultas sob alerta, mas elas possuem um mecanismo para se proteger. Elas têm uma estrutura que se chama estômato e que é um mecanismo para reduzir a perda de água delas”, explica o diretor de arborização da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), Heitor Liberato.



O estômato é uma estrutura existente na epiderme das folhas (camada de células que cobre elas). Nele existe uma abertura que comunica o interior da folha com o ambiente externo. Segundo Liberato, quando o estômato se fecha, a árvore perde menos água. Ou seja, a taxa de evapotranspiração reduz. O estômato abre entre o final da tarde e a noite para que a árvore possa receber a água proveniente do sereno ou da chuva.

“Isso não quer dizer que a árvore não perde água, e sim, que o volume de água que perde é menor. A árvore precisa perder esse líquido porque é o que faz manter a umidade do ar. Se não fosse isso, além da alta temperatura, a população ainda sofreria com um clima seco”, ressaltou Liberato.

Período não é indicado para plantar

“A plantação de algumas mudas nessa época não deve ser feita em grande escala, porque a maioria vai morrer. Elas não vão aguentar porque é a época mais seca do ano e elas ainda não tem o sistema das raízes bem desenvolvidos para resistirem. O ideal é que o plantio ocorra entre dezembro e março”, disse o ecólogo William Magnusson, do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa).

As margens do igarapé do 40, por exemplo, no bairro Cachoeirinha, Zona Sul, receberam o plantio de 300 mudas de espécies nativas da Amazônia no sábado passado.  A ação foi promovida pela Semmas em comemoração do Dia da Árvore. Foram plantadas mudas de espécies amazônicas.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.