Domingo, 18 de Agosto de 2019
Alerta de cheia no Amazonas

Cheia de 2013 será grande, mas não baterá recorde de 2012

No Estado do Amazonas, 13 municípios já se encontram em situação de emergência e oito estados estão em situação de alerta, segundo a Defesa Civil Estadual



1.gif O primeiro ‘Alerta de Cheia’ deste ano estimava uma cota máxima de 29m45, bem abaixo do recorde alcançado pelo rio no ano passado e que foi de 29m97
02/05/2013 às 14:14

No segundo ‘alerta de cheia’ divulgado nesta quinta-feira (2), o Serviço Geológico do Brasil (CPRM) informou que a previsão é de que a cheia no rio Negro fique entre 28,76m e 29,46m em 2013. No Estado do Amazonas, 13 municípios já se encontram em situação de emergência e oito estão em situação de alerta, segundo a Defesa Civil Estadual.

De acordo com o Superintendente do Serviço Geológico do Brasil, Marco Antônio Oliveira, a subida do rio Negro vai depender do volume de chuva registrado na região no mês de maio, que segundo o Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam) será intenso por conta do período de transição da estação seca para a chuvosa, declarou o chefe da Divisão de Meteorologia do Sipam, Ricardo Dallarosa.

Ainda segundo Marco Antônio, a cheia desse ano será grande, mas não deve bater o recorde de 2012.

A cota do rio Negro registrada nesta quarta-feira (1º) foi de 27, 86m. Municípios da região do médio Solimões vão receber nos próximos dias, a visita de equipes da Defesa Civil do Amazonas. A região já está sofrendo por conta da cheia.

A Defesa Civil Municipal estima que pelo menos três mil famílias devem ser afetadas com a cheia em Manaus. No primeiro Alerta de Cheia, divulgado pelo Serviço Geológico do Brasil no dia 31 de março, a estimativa era de que a cheia ficaria entre 28,74m e 29,45m.

* Confira mais informações na edição impressa do Jornal A Crítica desta sexta-feira (03)

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.