Publicidade
Amazônia
Amazônia

Começa desocupação de terreno invadido na AM-070

Por volta de 7h30 as máquinas começaram a chegar para derrubara os barracos e alguns moradores retiraram de forma pacífica seus pertences 21/10/2013 às 12:00
Show 1
Ação conta com o apoio de cerca de 500 policiais
Natan Gaia Manaus (AM)

Na manhã desta quarta-feira (25) foi iniciada a reintegração de posse do terreno localizado em área verde na estrada Manoel Urbano, Km 6, Lote 4, no município de Iranduba (distante 27 quilômetros de Manaus).

Por volta de 7h30, máquinas começaram a chegar para derrubarem os barracos construídos no terreno invadido e alguns moradores retiraram de forma pacífica seus pertences.

Houve princípio de tumulto quando o indígena Diego Franco Castilho, da etnia Kokama, filho do cacique Sebastião Castilho, tentou desrespeitar a ordem, não querendo sair do barraco onde morava. O homem resistiu à ação da polícia, foi algemado, mas conseguiu driblar os guardas e fugiu.

Segundo Diego, não houve desacato ele apenas tirou uma parte de suas coisas do seu barraco e quando voltou para pegar o resto, foi impedido pela polícia e reagiu.

Uma mulher, aparentemente indígena, entrou em trabalho de parto durante a ação e foi conduzida, no carro do grupo Fera da Polícia Civil, às pressas para uma unidade hospitalar de Iranduba. Outra mulher foi presa por desacato a autoridade durante a ação de desocupação.

As máquinas pararam de trabalhar por volta de 10h porque a polícia está esperando a chegada do segundo mandado de reintegração de posse do terreno que pertence à Assembléia de Deus. Os índios armados com lanças fazem barreira para impedir a entrada dos policiais.

De acordo com o Coronel Aroldo Ribeiro, que está à frente da operação, há no local um efetivo de aproximadamente 500 homens do Grupo de Gestão Integrada (GGI), formado pelas Polícias Militar, Federal e Civil.

Entenda o caso

A juíza da 2ª Vara da Comarca de Iranduba, Luciana da Eira Nasser, deferiu liminar para a reintegração de posse em 30 de julho, mas quando o oficial foi cumprir a ação constatou a presença de índios no local. Nasser, intimou a Fundação Nacional do Índio (Funai) e o Ministério Público Federal (MPF) e, devido ao litígio com indígenas, declinou o processo para a Justiça Federal, competente para decidir o caso.

Foi determinado, na última segunda-feira (23), o isolamento da área, em cumprimento de liminar expedida pelo Juiz Federal da 1ª vara da Seção Judiciária do Amazonas, Érico Rodrigo Freitas Pinheiro. Cerca de 150 pessoas que pretendiam entrar na invasão foram impedidas.

Nesta terça-feira (24) a juíza da 2ª Vara da Comarca de Iranduba, Luciana da Eira Nasser, determinou o cumprimento de reintegração de posse da área situada entre os quilômetros 4 e 6 da estrada AM- 070, em Iranduba, na manhã de quarta (25).

Publicidade
Publicidade