Terça-feira, 20 de Agosto de 2019
Amazônia

Conselho Municipal de Cultura abre espaço para populações ribeirinhas da RDS do Tupé

Os interessados em concorrer a uma cadeira no conselho devem apresentar documento de identificação e de comprovação de moradia na reserva



1.jpg Pela primeira vez a população ribeirinha poderá ter um representante no Concultura
29/04/2013 às 17:30

O Conselho Municipal de Política Cultural (Concultura), entidade consultiva e deliberativa responsável pela definição da política cultural do município, abriu espaço para que as populações ribeirinhas da Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Tupé possam disputar assento no segmento étnico do conselho. Só na comunidade do Livramento, uma das seis existentes no Tupé, residem representantes de ao menos 15 povos indígenas do Rio Negro. Pela primeira vez, essa população poderá ter um representante no Concultura, assim como os afrodescendentes. Os comunitários terão até esta terça-feira (30) para se inscrever.

Escritor e dramaturgo, o amazonense Márcio Souza, presidente do Conselho, que esteve visitando a RDS do Tupé na última quinta-feira (25), explica que o Estado que concentra a maior população indígena do Brasil não poderia deixar de ter uma representação em um conselho desta abrangência.

Márcio Souza destacou também o pioneirismo do conselho em ir até a população para divulgar seus objetivos. Um estande foi montado com o apoio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), na comunidade do Livramento, para receber as inscrições de toda a reserva.

A Semmas também apoiará os comunitários com o transporte até Manaus no dia dos fóruns para as eleições dos representantes dos segmentos da sociedade civil para os quais houver inscritos nas comunidades (musica, dança, teatro, artes visuais, literatura, cinema e vídeo, cultura étnica e projetos especiais).

Livramento e Agrovila também foram comunidades visitadas por Márcio Souza, para conhecer a realidade cultural dos ribeirinhos, que podem contribuir com as discussões dos temas ligados à produção cultural nas comunidades.


Um trabalho prévio de divulgação do edital do concurso e a distribuição da fichas modelo foram realizadas ao longo de toda a manhã de quinta-feira (25). Os interessados em concorrer a uma cadeira no conselho devem apresentar documento de identificação e de comprovação de moradia na reserva.

A comitiva do conselho foi formada por representantes da secretaria executiva do Concultura e os conselheiros representantes da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas). Márcio Souza ficou satisfeito com o interesse dos ribeirinhos e disse da importância de estimular esse tipo de prática, uma vez que, entre as populações que residem fora da zona urbana, também há muita riqueza cultural.

*Com informações da assessoria de comunicação da Semmas

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.