Quinta-feira, 18 de Julho de 2019
Amazônia

Cooperação entre Brasil e Japão vai implementar museus naturais em Manaus

Um acordo firmado entre o Inpa e a Agência de Cooperação Internacional do Japão (JICA) vai possibilitar a implantação do conceito de Museu a Céu Aberto na cidade



1.jpg Convênio foi assinado pelo diretor substituto do Inpa, Estevão Monteiro de Paula
30/08/2013 às 12:06

O Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTI) e a Agência de Cooperação Internacional do Japão (JICA) assinaram, nessa quinta-feira (29), o plano básico do Projeto para Conservação da Biodiversidade Amazônica sob conceito de Museu a Céu Aberto em Manaus (AM).  O documento foi assinado pelo diretor substituto do Inpa, Estevão Monteiro de Paula, e pelo  diretor do Grupo para Conservação da Floresta e da Natureza da  Agência de Cooperação Internacional do Japão (JICA), Kenichi Shishido. 

O Projeto prevê a implementação de museus a céu aberto em áreas mantidas pelo Inpa, com a junção das tecnologias japonesas para criar um ambiente interativo para estudantes e  turistas, além da construção de instalações para a criação de peixes-bois em semi-cativeiro e observação de copa das árvores. As áreas utilizadas serão o Bosque da Ciência (Aleixo), o Jardim Botânico Adolpho Ducke (Cidade de Deus), a Reserva Florestal Adolpho Ducke (km 26 da AM-010) e a ZF-2 (km 60 da BR-174). 

“A geração atual está interessada em ver algo mais interativo, pois está crescendo com acesso a toda essa tecnologia. Então essa seria uma forma mais moderna de se observar a dinâmica florestal. Como a floresta funciona a noite, ou o acordar dos pássaros, tudo poderia ser observado em tempo real ou não. Além disso queremos obter imagens de outros fenômenos naturais que não são facilmente observáveis e disponibilizá-las para a população geral. Pretendemos também, oferecer cursos de capacitação nessas áreas”, afirma a pesquisadora do Inpa e responsável pela parceria no Brasil, Vera Silva. 

O projeto está previsto para iniciar em abril de 2014 e conta com o financiamento total de 5 milhões de dólares, juntamente com as tecnologias desenvolvidas pelos japoneses, o conhecimento da biodiversidade e infraestrutura oferecida pelo Inpa. 

“O Japão participa do tratado de biodiversidade e também do tratado de conservação da natureza, então este Projeto na Amazônia será uma contribuição a nível mundial. O professor Shiro Kohshima já vem tentando implantar este conceito de 'museu a céu aberto' em outros lugares, então acredito este Projeto no Inpa  servirá de modelo para que seja difundido em outros lugares”, afirma Shishido.

Para o diretor-substituto do Inpa, Estevão Monteiro de Paula, o museu será mais uma opção para o ecoturismo em Manaus: “É um projeto muito interessante. Do ponto de vista do Inpa, seria uma forma de utilizar mais nossas áreas protegidas, como a Reserva Ducke e o Bosque da Ciência. E em relação a Manaus, essa seria uma outra alternativa de turismo, um novo lugar com mais informações sobre a biodiversidade de uma forma natural”. 

(*) Com informações da assessoria de imprensa do Inpa/MCTI

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.