Publicidade
Amazônia
'Passeio de informação'

Crianças dão lição de conscientização sobre o meio ambiente em visita a parque

Ao conhecer o Parque Estadual Sumaúma, que fica na Cidade Nova, Zona Norte, baixinhos deram banho de preservação ambiental, respeito aos animais e contra o desperdício de água do Planeta 07/06/2016 às 22:20 - Atualizado em 07/06/2016 às 22:43
Show sumauma1
Pequenos conheceram locais do Parque Sumaúma como o gigante Curupira (Fotos: Márcio Silva)
Paulo André Nunes Manaus (AM)

Se você pensa que as crianças estão alheias ao que acontece no nosso meio ambiente, você está redondamente enganado, caro leitor. Os baixinhos ouvidos ontem por A CRÍTICA, durante visita realizada ao Parque Estadual (Parest) Sumaúma, na Cidade Nova, Zona Norte, pelo Mês do Meio Ambiente, deram um banho de consciência e de preservação ambiental mesmo com tão pouca vivência neste Planeta cada vez mais poluído.

Crianças como o jovem João Gabriel de Souza Castro, de apenas 6 anos de idade, já demonstram cuidado com o mundo que lhes cerca, mesmo em meio à Amazônia banhada pelos rios. E há lição até contra o desperdício da água, mineral que tende a escassear dada ao consumo desenfreado.

“Não temos que jogar o lixo na rua, e sim no lixo. Outra coisa que temos que fazer é fechar a água da torneira quando estiver ligada. Ah, e cuidar dos animais”, ensina ele, aluno do 1º ano do ensino Médio da Escola Estadual de Tempo Integral José Carlos Mestrinho.

A opinião das crianças sobre o meio ambiente é conscientizadora. É o exemplo da estudante Lohanna Rafaela Campos Mário, também de 6 anos. “Precisamos deixar as garrafas de cabeça para baixo para não deixar a água parada pois a higiene é fun damental”, declara a pequena.

Lohanna só não ficou mais contente com a visita porque não conseguiu ver nenhum Sauim-de-Coleira (Saguinus bicolor), espécie ameaçada de extinção. O Parque Sumaúma é o habitat natural de três grupos de sauim que totalizam mais de 20 animais da espécie e que só são encontrados em Manaus e adjacências. “Não consegui ver nenhum bicho”, comentou ela, soltando uma risada.

As crianças assistiram a uma palestra sobre o Sauim, além de exposição fotográfica e palestra especificamente sobre o pequeno primata.

Reinvenção

Fernanda Machado, professora do 1º ano do ensino Fundamental da Escola Estadual de Tempo Integral José Carlos Mestrinho, destaca a importância desse contato que as crianças têm com parques como o Sumaúma.

“Nós tentamos aliar o conteúdo que damos em sala de aula com essa aula interdisciplinar. As crianças dessas faixas etárias que visitaram o Sumaúma e outros parques, na faixa etária de 6 a 7 anos, querem o visual, poder pegar naquilo que elas estão aprendendo. E nada mais eficiente do que trazermos elas para esses locais para que eles assimilem rápido as coisas. Até para a preservação do meio ambiente e mostrar para eles essa beleza que é esse parque e dizer: ‘Gente, nós temos que cuidar para que ele continue assim’”, dizendo que se “reinventa com essas crianças”.

“É uma grande satisfação ver que a população aderiu à programação e aprovou as atividades no parque Sumaúma. Foi apenas o primeiro dia e até o próximo sábado teremos muitas ações para todos que quiserem visitar o parque e sair com outra consciência sobre preservação”, falou o secretário de Estado do Meio Ambiente, Antonio Stroski.

A gestora do parque, Amanda Gomes, ressalta que mesmo durante a programação do Mês do Meio Ambiente o agendamento de grupos que quiserem visitar o parque continua. “Estamos com uma ampla programação todos os dias, mas os agendamentos continuam acontecendo, basta entrar em contato conosco. Temos muitas atividades para o público infantil e adulto com o trabalho do Corpo de Bombeiros com palestras e com os cães, além das trilhas para caminhada, exposição fotográfica e a biblioteca móvel”, disse ela.

Em números

600 é o número de títulos sobre meio ambiente e riquezas naturais da Amazônia que possui a biblioteca móvel do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam). O local é um micro-ônibus adaptado como biblioteca itinerante . Na unidade, os visitantes têm a disposição uma equipe de educação ambiental do Ipaam com recursos audiovisuais para realizar palestras educativas sobre queimada e preservação.

Baixinhos conhecem aplicativo que denuncia crimes ambientais

As crianças e demais visitantes do Parque Sumaúma têm, durante esta semana, a oportunidade de conhecer mais sobre o aplicativo para celular MeuAmbiente, que foi lançado há cerca de 1 mês como ferramenta para denúncias de crimes ambientais e aproximação da população com o poder público que atua na agenda ambiental.

Formada por profissionais de tecnologia e área ambiental que amam o Amazonas, como seus membros fazem questão de dizer, o instituto visa com que o cenário preocupante do ano passado não se repita na região.

Cíntia Fernandes, diretora-executiva do Instituto Amazônia Mais, falou com os baixinhos, ontem, sobre a importância da iniciativa.

“O aplicativo foi lançado no dia 15 de abril e é uma ferramenta que possibilita fazer denúncias de crimes ambientais de uma forma fácil, prática e gratuita. Em menos de 7 cliques você denuncia uma queimada, tráfico de animais silvestres, enfim, de uma infinita categoria desses crimes”, conta ela.

Com um mês do aplicativo criado, chegou-se a mais de 40 denúncias e 328 downloads. “Hoje já tempos 365 cidadãos usando essa ferramenta”, informa a representante do Amazônia Mais. O aplicativo está disponível temporariamente apenas para Android, mas deve ampliar seu leque mobile para outras plataformas nos próximos meses.

Se você não tem Android, pode acessar o MeuAmbiente pelo site www.appmeuambiente.com.br. A Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema), órgão que administra o Parque Sumaúma, é uma das parceiras do Instituto Amazônia Mais.

 

Serviço

O quê? Parque Sumaúma

Onde? Rua Bacuri, Cidade Nova 1, na Zona Norte.

Quando? De 2ª a sábado, de 8h às 16h.

Quanto? Entrada franca

Informações: O agendamento pode ser feito pelo e-mail demuc.sema@gmail.com ou amanda@sema.am.gov.br e pelo telefone: 99153-2423

Publicidade
Publicidade