Quinta-feira, 22 de Agosto de 2019
Amazônia

Diferença de fusos horários faz eleições mais tarde na Amazônia

No Acre e em parte do Amazonas, onde o fuso horário é duas horas a menos que o horário de Brasília, os eleitores votarão mais tarde que resto do Brasil. Apuração também acontecerá depois



1.jpg A cidade de Envira, a 1.206 quilômetros de Manaus, iniciará eleições depois
04/10/2014 às 16:24

Nem todos os eleitores brasileiros começarão a votar no mesmo horário neste domingo (5). Por causa das diferenças de fuso horário, em alguns estados da Região Norte a votação começará e terminará depois dos demais brasileiros.

É o caso do Acre e de parte do Amazonas, onde o fuso horário é duas horas a menos que o horário de Brasília. Na maior parte do Amazonas, em Roraima, Rondônia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, no Pará e Amapá o fuso é uma hora a menos. A população desses estados começará a votar depois, e a apuração também terá início mais tarde.

Tão logo os últimos eleitores, que chegaram às filas de votação até as 17h, terminem de votar, as seções poderão lacrar as urnas e enviar os dados aos tribunais regionais eleitorais para a conferência dos votos.

As votações ocorrem das 8h às 17h, no horário local. Todos os eleitores que chegarem às seções nesse horário poderão votar, mesmo que ainda estejam na fila quando encerrar o horário de votação. Neste caso, a seção é fechada para a entrada de novos eleitores, mas os que já estiverem na fila poderão votar.

Se houver qualquer problema irremediável com as urnas eletrônicas, as seções estarão equipadas com urnas de lona para votação em papel. Nas últimas eleições, até as 20h cerca de 90% das urnas já tinham sido apuradas. A expectativa é que esse padrão se mantenha e os brasileiros conheçam os candidatos eleitos, ou que irão ao segundo turno, antes do fim deste domingo, independente do fuso horário.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.