Quarta-feira, 26 de Junho de 2019
Amazônia

Energia alternativa e sustentável para regiões de difícil acesso na Amazônia é meta do Governo

Eletrobras, Eletrobras Amazonas Energia e Exército discutem em workshop maneiras de levar às regiões remotas da Amazônia novas tecnologias para produzir energia elétrica



1.png Centros Comunitários Produtivos (CCPs), sucesso no sul e sudeste do País, podem ser implantados na região como forma de produzir energia alternativa
28/11/2013 às 20:15

Com o propósito de discutir métodos não convencionais e fontes de energia alternativas e sustentáveis para Amazônia, em função das dificuldades peculiares da região, a Eletrobras e a Eletrobras Amazonas Energia realizam o “Workshop Técnico: Unindo Forças pela Universalização”, evento teve início nesta quinta (28) e segue até sexta (29), no Quality Hotel, em Adrianópolis.

O foco das discussões durante o Workshop foi a viabilidade do uso de fontes alternativas e o uso produtivo da energia elétrica por Centros Comunitários Produtivos (CCPs) para as localidades consideradas como remotas (difícil acesso) na região amazônica.

O coordenador do evento, Celson Santos, da Eletrobras, pontuou que os CCPs são considerados experiência de sucesso no sul e sudeste do país e fazem parte de projetos complementares do Programa Luz para Todos (PLpT) do Governo Federal, com o foco voltado para a eletrificação rural.

Os PCCs são direcionados para o uso produtivo da energia elétrica e são formados por unidades constituídas por um conjunto de máquinas e equipamentos para produção, processamento, conservação e/ou armazenagem de produtos agropecuários, empregando tecnologias apropriadas e utilizando energia elétrica com eficiência.

“Estamos em fase de implementação desses centros aqui no Amazonas que, de certa forma, são de responsabilidade das concessionárias. Isso significa dizer que programas como esses não se tratam apenas de explorar a questão da energia elétrica, mas também de uma questão da responsabilidade social, porque tem como objetivo gerar emprego e renda para as localidades beneficiadas com o Programa”, enfatizou Celson.

Luz para Todos

Considerado como o maior programa de universalização de energia elétrica do mundo, o Programa Luz para Todos (PLpT) já atendeu 83 mil domicílios no Estado do Amazonas, tendo cumprido a meta até 2012. Agora, o programa do Governo Federal cumpre meta complementar de 28 mil novas ligações até 2014, sendo que seis mil já foram executadas.

“O nosso grande objetivo é identificar essas pessoas que estão nessas localidades remotas e atendê-las, ou por meio do PLpT ou pelo Projeto de Universalização que é um dos pontos que nós estamos discutindo hoje por meio desse III Workshop. Nossa necessidade é unir forças para a universalização, já que a região amazônica é uma região muito crítica e de difícil acesso”, enfatizou Rogério Ronconi, gerente do PLpT na Eletrobras Amazonas Energia.

Para Ronconi, o ponto mais crítico do Programa está no acesso às regiões remotas. “São lugares onde não conseguimos chegar com redes tradicionais e agora vamos ter que atender com fontes alternativas. Esse é o ponto crítico, por isso precisamos criar alternativas sustentáveis”, relatou o gerente ao antecipar que a Eletrobras Amazonas Energia já está em fase de estudos de fontes alternativas como: biomassa, Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs), entre outros.

De acordo com o general Guilherme Theophilo, comandante da 12ª Região Militar, a parceria com a Eletrobras Amazonas Energia, que ele prefere chamar de “integração”, atualmente vem permitindo a universalização da energia elétrica a comunidades ribeirinhas que estão localizadas em áreas militares.

“Esse é caso das comunidades Jatuarana, União e Progresso, Tiririca e São Franscisco do Mainá, que estão localizadas em uma área do Centro de Instruções de Guerra na Selva (CIGS). O Exército está regularizando essas comunidades e elas serão beneficiadas com o Luz para Todos”, alegou o general.

Segundo a Eletrobras, em vários pontos do Amazonas o Exército conta com pequenas termelétricas para atender aos grupamentos e às comunidades ribeirinhas da região. Conforme general Theophilo, já estão em fase de testes painéis fotovoltaicos que deverão atender aos Pelotões Especiais de Fronteira (PEF) localizados na região do Alto Solimões e São Gabriel da Cachoeira.

*Com informações da assessoria de imprensa

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.