Publicidade
Amazônia
Amazônia

Ervas, banhos e simpatias são opções no combate aos efeitos da fumaça que invadiu Manaus

Manauara recorre a diversas estratégias para escapar das doenças, principalmente respiratórias, associadas a poluição 20/10/2015 às 20:49
Show 1
Judite conta que procura por remédios caseiros cresceu nas últimas semanas
Isabelle Valois Manaus (AM)

O manauara que convive há 20 dias com uma nuvem de fumaça está buscando alternativas para não contrair doenças usando os tradicionais remédios caseiros, mas sabe que quando o caso é mais sério, a melhor é procurar a unidade de saúde mais próxima.

A vendedora Judite Braga Formoso,  há 56 anos trabalhando com  plantas medicinais no Mercado Municipal Adolpho Lisboa, Centro, contou  que nos últimos dias houve uma procura maior pelos  produtos medicinais como cabacinha, alfavaca, cravo amarelo, andiroba, maru, arruda e copaíba, conhecidas por auxiliar no  tratamento de doenças respiratórias como sinusite, faringite e laringite.

Judite explicou que a mistura dessas plantas, sementes e raízes, no álcool, vira um ótimo remédio que ajuda a diminuir a coriza, inflamação e  irritação nas vias aéreas ocasionada pela poluição. Porém não é qualquer pessoa que sabe preparar o medicamento, então a vendedora indica a preparação de banho pra cabeça, feito do chá deste medicamento. “Aprendi com os meus antepassados esses tipos de medicamento”, disse.

Ela, além de vender todo o material para a fabricação dos banhos, também fabrica um próprio  para o tratamento que custa em média  R$ 5.

Para bronquite asmática, a vendedora contou ainda que existia  uma curiosa  simpatia que os antigos usavam para terminar definitivamente  com a doença.

“Para a bronquite asmática, aprendi que no dia de lua cheia, alguém mais próximo da pessoa que tem a doença, pega um cavalo marinho ou a estrela do mar e o divide em três partes. Na mesma noite faz um chá de uma das partes e entrega para a pessoa sem ela saber. Nas próximas duas luas o chá precisa ser repetido com as outras partes. Todos as pessoas que fizeram afirmam que a pessoa nunca mais teve crise de asma”, contou em meio a curiosidade que geram as simpatias entre os frequentadores da banca dela no mercadão.

Outros remédios tradicionais também são indicados, mas são vistos com reservas pelos profissionais da saúde.

Garrafadas, chuvas e um alerta feito por médica

O vendedor Esmael Gomes Barauna, 53, aprendeu com os pais a fazer uma garrafada e afirma que o remédio serve pra qualquer tipo de doença. Dentro da garrafa vai um chá feito de sara-tudo, casca de cajú, boldo, folha do taperebá e outras ervas medicinais. Cada garrafa é vendida por R$ 10  e houve um aumento na procura desde quando Manaus foi tomada pela  fumaça.

A Secretaria Estadual de Saúde (Susam) informou que a rede de Prontos-Socorros e Serviços de Pronto-Atendimento (SPAs) não registraram, nos últimos dias, aumento expressivo de atendimento de pacientes com problemas associados à presença da fumaça, mas a diretora do Pronto-Socorro da Criança da Zona Sul, Uildeia Galvão, informou que a população precisa estar atenta aos sintomas alérgicos e procurar de imediato qualquer unidade de saúde mais próxima, antes de iniciar qualquer tipo de tratamento por conta própria.

Chuvas

No início da manhã de ontem (20) foi registrado menos de uma hora de chuva em Manaus. De acordo com o gerente do Programa de Produção Rural Sustentável do Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (Idesam), Gabriel Carrero, esta chuva ajuda a diminuir o número de incêndios e a densidade da nuvem de fumaça que assola o Estado, mas ainda é necessário que ocorra novas chuvas,  pois a fumaça possui uma partícula muito fina e que dificulta a umidade atmosférica.

Publicidade
Publicidade