Publicidade
Amazônia
Amazônia

Estiagem deixa municípios do Amazonas em situação de alerta

Devido às altas temperaturas e a falta de chuva, um município amazonense está em Situação de Emergência e outros três em Situação de Alerta. A informação foi divulgada nessa quinta-feira (11), em coletiva de imprensa, pela Defesa Civil do Amazonas 11/02/2016 às 11:49
Show 1
De acordo com o secretário executivo do órgão, Fernando Pires Junior, o município que está em Situação de Emergência por conta da estiagem é Presidente Figueiredo
silane souza ---

A estiagem começa a causar vários danos no Amazonas, principalmente nas regiões Norte e Nordeste do Estado. Devido às altas temperaturas e a falta de chuva, um município amazonense está em Situação de Emergência e outros três em Situação de Alerta. A informação foi divulgada nessa quinta-feira (11), em coletiva de imprensa, pela Defesa Civil do Amazonas.

De acordo com o secretário executivo do órgão, Fernando Pires Junior, o município que está em Situação de Emergência por conta da estiagem é Presidente Figueiredo (a 117 quilômetros de Manaus), que também deve decretar hoje Situação de Emergência por causa das queimadas. O Governo do Estado liberou aporte de aproximadamente R$ 100 mil para ajudar na manutenção de água potável na região.

“Presidente Figueiredo sofreu uma ação atípica. Os mananciais de água doce do município estão abaixo do normal e existem algumas comunidades que estão praticamente isoladas. Ainda não há problemas de abastecimento de gêneros alimentícios, mas há em relação à água potável, que está sendo distribuída a população por meio de carros pipas”.

Os que estão em Situação de Alerta são os municípios do Alto Rio Negro: Santa Isabel do Rio Negro, onde falta 57 cm para atingir a cota mínima histórica de 28 cm, registrada em 13 de março de 1980; São Gabriel da Cachoeira (falta 65 cm para atingir a menor vazante de 3,3 cm, ocorrida em 7 de fevereiro de 1992) e Barcelos  (falta 64 cm para atingir a cota mínima de 58 cm, alcançada em 18 de março de 1980).

O secretário executivo da Defesa Civil do Amazonas ressaltou que Barcelos (a 399 quilômetros de Manaus) já está em Situação de Emergência por conta das queimadas. O município registrou 375 focos de incêndio somente no último mês de janeiro, quando no mesmo período do ano passado teve seis casos.

Fernando Júnior afirmou o Norte do Estado, na calha do Rio Negro, é o que chama mais atenção com a quantidade de água muito baixa nos últimos tempos, sendo que a região está no mês típico de chuva e atípico de estiagem “Essa situação para nós também é novidade. Vamos usar o histórico da Defesa Civil do Estado, que atendeu todos os desastres nesses últimos anos, para atuar nessa situação atípica”, disse.

Segundo ele, na próxima semana haverá uma reunião com os gestores da Defesa Civil dos 62 municípios do Estado para traçar o plano de contingência. A ideia é que cada município tenha seu plano de prevenção de desastre. “Temos que trabalhar na elaboração de um plano de contingência para que quando ocorrer um desastre já tenhamos um norte para trabalhar as comunidades afetadas”, declarou.

Prognóstico de estiagem no Amazonas, de acordo com o Centro de Monitoramento Climático e Ambiental da Defesa Civil do Amazonas.

Bacia do Rio Negro: estações monitoradas em processo de enchente, mas apresentando instabilidade
*Alto Rio Negro - apresenta chuvas abaixo do normal para o período, afetando diretamente o Norte e o Nordeste do Estado, que compreende os municípios de São Gabriel da Cachoeira, Barcelos e Santa Isabel do Rio Negro;

Bacia do Juruá: estações monitoradas apresentam níveis normais para o período;

Bacia do Purus: estações monitoradas apresentam níveis baixos para o período;

Bacia do Solimões: níveis atípicos (com descida), considerando que estamos em período de enchente;

Bacia do Amazonas: estações monitoradas apresentam níveis baixos para o período;

Bacia do Madeira: estação apresenta elevação contínua do nível do rio, porém com níveis baixos para o período.

Publicidade
Publicidade