Terça-feira, 23 de Abril de 2019
publicidade
1077154.jpg
publicidade
publicidade

MEIO AMBIENTE

Estudo no MT traz sinal de alerta sobre impactos das madeireiras

Pesquisadores do Mato Grosso mostram que indústria madeireira tem grande impacto social e ambiental na Amazônia


02/05/2016 às 05:00

O setor madeireiro é um dos principais vetores da economia da Amazônia desde os primórdios da colonização e seus impactos afetam tanto o meio ambiente quanto as sociedades envolvidas com ele.

Não há estudos conclusivos sobre o adoecimento dos trabalhadores deste setor na maioria dos Estados, mas uma pesquisa pioneira feita pelos professores da Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT) Wanderlei Antonio PignatiI e Jorge Mesquita Huet Machado apontou um quadro bastante preocupante. “O setor da indústria madeireira, um dos pólos da economia do Estado de Mato Grosso, provoca grande impacto negativo no ambiente e na saúde”, escrevem os professores no estudo que analisou situações de risco em 1.381 indústrias, com 4.381 trabalhadores de um universo total de 21.607 que compunham o setor no início deste século. “Foi observada a precarização do trabalho em todos os locais, em graus variados, demonstrando-se que, quanto mais as indústrias se afastam das sedes dos municípios, pioram as condições de trabalho/salário/saúde”, escrevem numa das partes mais contundentes do texto.

Ainda conforme o estudo dos matogrossenses, “ 11% dos trabalhadores estavam mutilados, outros 25% apresentavam outras sequelas de acidentes de trabalho e 28% estavam com deformidades de coluna vertebral”.

Sobre os fatos contribuintes para essa situação, que espelha a existente no Município de Itacoatiara, até o início deste século o principal polo madeireiro do Amazonas, a pesquisa afirma que estão “a máxima exploração da força de trabalho, desresponsabilização patronal com as situações de riscos e ainda a insuficiente organização dos trabalhadores e precária regulação e fiscalização do Estado, acarretando desproteção social dos trabalhadores das indústrias madeireiras nessa região, expressando a violência social estrutural dessa ocupação/destruição da Amazônia”.

Assim como o Amazonas, o Estado de Mato Grosso sofreu na década passada com a rápida e descontrolada expansão da fronteira agrícola, num processo que é descrito pelos professores como “marcado, acentuadamente nas regiões do Cerrado e Floresta, por um fluxo de desmatamento e implantação de indústrias de madeira e de agropecuárias de gado e soja, do sul para o norte”.

publicidade
publicidade
Quase 25 mil litros de camada asfáltica vazam e contaminam o Rio Negro
Bolsonaro diz que Brasil não deve nada em preservação do meio ambiente
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.