Publicidade
Amazônia
agricultura

Estudo pretende contribuir para recuperação de áreas de pastos degradadas no AM

Projeto de pesquisa investiga o efeito da consorciação de duas espécies de plantas forrageiras no cultivo do milho para silagem para melhorar características do solo 30/03/2016 às 11:41 - Atualizado em 30/03/2016 às 11:43
Show planta  o
O estudo é desenvolvido no âmbito do Programa de Apoio à Formação de Recursos Humanos Pós-Graduados do Estado do Amazonas (RH-Mestrado) da Fapeam (Foto: Divulgação)
acritica.com

Para diminuir o processo de erosão do solo e proporcionar pastagens com maior qualidade para os ruminantes, o pesquisador da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Maycom Marinho Lopes, está desenvolvendo um estudo com apoio do governo do Estado por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) no qual utiliza duas espécies de plantas forrageiras no cultivo de milho para produção de silagem.

“Trabalhamos com duas fontes de alimentação para categoria de pequenos e grandes ruminantes. A primeira é o cultivo de milho destinado à produção de silagem, essa por sua vez possui boa aceitabilidade pelos ruminantes e é considerada umas das melhores silagens quando comparada com outras, como sorgo, capim elefante, cana-de-açúcar etc. A segunda fonte de alimentação é a pastagem que após o processo de colheita do milho, é adubada com uma fonte de nitrogênio que proporcionará um rebrote e perfilhamento formando assim a pastagem que será destinada ao pastejo dos animais.”, explicou Maycom.

O pesquisador é integrante do Programa de Pós-Graduação em Zootecnia – Produção e Nutrição Animal/Forragicultura desenvolvido na Universidade Estadual do Oeste do Paraná. Formado em zootecnia pela Ufam, Maycom explicou que escolheu abordar em sua tese de mestrado um tema que beneficiasse a Amazônia.  O estudo deve ser finalizado em setembro deste ano.

“Sempre trabalhei desde a graduação com forragicultura e pastagem e conservação de plantas forrageiras e a integração lavoura pecuária (iLP) esta intimamente correlacionada com esses assuntos, desta forma vi uma oportunidade de trabalhar com o consórcio de plantas forrageiro e culturas agrícolas que poderá ser aplicada no contexto da produção primário no estado do Amazonas. Isso porque a iLP é uma alternativa viável para ser aplicada em solos de baixa fertilidade”, explicou o pesquisador.

O estudo é desenvolvido no âmbito do Programa de Apoio à Formação de Recursos Humanos Pós-Graduados do Estado do Amazonas (RH-Mestrado) da Fapeam.

Benefícios

A previsão é que a parte de campo do estudo seja concluída em maio. Após esse processo, começam as analises nutricionais da planta de milho e forrageiras em laboratório.  Nesta etapa, o grupo de pesquisa deve estabelecer qual o melhor consórcio entre o milho e as espécies de plantas forrageiras.

“A pesquisa irá beneficiar o pecuarista de duas formas: a primeira será com a introdução do sistema de integração lavoura pecuária nas áreas de pastagens degradadas que é muito comum na região, pois a iLP trabalha de forma focada na recuperação dessas áreas; A segunda forma será no fornecimento de fontes alimentares de qualidade para os animais (pastagens e silagem)”, disse Marinho.

Publicidade
Publicidade