Publicidade
Amazônia
Amazônia

Extinção do Sauim-de-coleira pode afetar severamente o desequilíbrio do ecossistema

Símbolo de Manaus, o primata está entre os animais mais ameaçados da região 20/10/2015 às 09:57
Show 1
Um dos símbolos da capital amazonense, o sauim ganhou o ‘sobrenome’ Manaus, mas a medida não reduziu o nível de ameaça do primata, o mais exposto à extinção
silane souza ---

A extinção de uma espécie animal pode causar o desequilíbrio do ecossistema, provocando uma reação em cadeia, o que gera um grande impacto no meio ambiente e para a população em geral. Esses efeitos podem ser vistos em breve no Amazonas, se o sauim-de-coleira (Saguinus bicolor), uma das espécies mais ameaçadas de extinção do bioma Amazônia, vier a se extinguir.

A informação é do biólogo Maurício Noronha, que coordena a campanha “Salve o Sauim”, cujo objetivo é estabelecer uma demanda política para criar novas Unidades de Conservação, necessárias para tirar o sauim-de-coleira do caminho da extinção. E também discutir com o Estado a aplicação de políticas públicas adequadas para a conservação da espécie.

De acordo com o biólogo, o sauim tem funções importantíssimas dentro do ecossistema, tanto como alimento para uma série de animais, quanto como predador de insetos e pequenos animais, controlando a população dessas espécies. Além disso, ele também atua como dispensador de semente, ajudando as espécies vegetais a se espalharem em locais diferentes de sua origem.

Com a sua ausência, o elo “presa, predador e dispensador” será quebrado dentro da cadeia alimentar e na disseminação de várias espécies de plantas. “O sauim tem uma importância incrível. Se essa espécie vier a se extinguir, além de todos esses serviços ambientais que ela faz para nós, nós ainda vamos perder parte da nossa raiz cultural, uma vez que o sauim é símbolo do nosso Estado e mascote de Manaus”, relatou.

RestritoNoronha revela que o sauim-de-coleira só ocorre no Estado do Amazonas, e apenas em parte dos municípios de Manaus, Rio Preto da Eva e Itacoatiara. Conforme ele, a espécie possui uma das menores distribuições geográficas conhecidas para primatas brasileiros, ocorrendo em apenas 7.500 quilômetros quadrados.

E integra a Lista de Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção do Ministério do Meio Ambiente (MMA), onde é catalogado como “Criticamente em Perigo”. Uma espécie nessa categoria corre risco extremamente alto de extinção na natureza, em um futuro imediato. Este é o segundo estado de conservação mais grave, antes do total desaparecimento da espécie.

“Aí que mora o problema, porque qualquer impacto na cobertura dessa floresta, por menor que seja, já é uma enorme pancada para o sauim-de-coleira. Qualquer perda de floresta faz falta para eles”, disse, destacando que o aumento de queimadas agrava a situação.

Iniciativa

Para informar ao público sobre o movimento, foi criada a página “Campanha Salve o Sauim” no Facebook. Já a petição online para a criação de Unidades de Conservação para o sauim-de-coleira está no endereço http://bit.ly/SalveoSauim. O objetivo é proteger não só os sauins, mas todo o ecossistema e as outras espécies ameaçadas de extinção. Além da conservação da floresta e dos mananciais de água.

Campanha quer envolver o povo


Em alusão ao “Dia do Sauim”, comemorado hoje, entidades ligadas ao meio ambiente promoverão uma série de atividades no auditório Belarmino Lins, da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas, na avenida Mário Ypiranga Monteiro, Zona Centro-Sul.

O evento começa a partir das 8h30, com o lançamento da campanha “Salve o Sauim”, que pretende obter, em uma petição on-line, 100 mil assinaturas de apoio à criação de novas Unidades de Conservação para o sauim-de-coleira.

A partir das 9h acontecerá a entrega da Premiação de Mérito Conservacionista a personalidades que contribuíram para a conservação do sauim.

Às 10h, o coordenador do projeto Sauim-De-Coleira da Ufam, Marcelo Gordo, irá proferir uma palestra sobre “Os Desafios para a Conservação do Sauim-de-Coleira, seguido, às 10h40, do lançamento da campanha, com apresentação de vídeos e da petição pública.

Das 11h às 12h a programação segue com o lançamento do livro “Sauim-de-coleira: a história de uma espécie ameaçada de extinção” e a inauguração da exposição de fotografias “Sauim-de-Coleira, 192 anos de História”.

E das 13h às 14h30, a mesa redonda que debaterá as “Estratégias para a Conservação dos últimos Blocos Florestais para o Sauim-de-Coleira”.

De acordo com o coordenador da campanha “Salve o Sauim”, Maurício Noronha, qualquer pessoa pode participar do evento, que ocorrerá das 8h às 14h de hoje. Além da programação haverá sorteio de livros. “Queremos reunir o máximo de pessoas possíveis para juntos encontrarmos uma solução para a conservação dessa espécie”, enfatizou.


Publicidade
Publicidade