Publicidade
Amazônia
REGIONAL

Frutos e especiarias da Amazônia inspiram produções de pimentas regionais

As misturas formam deliciosos molhos, com mais de 20 sabores, produzidos pelo engenheiro florestal Walter Antunes e o empreendedor Icaro Costa 30/04/2017 às 05:00
Show 1220815
Foto: Aguilar Abecassis
Mayrlla Motta Manaus (AM)

Frutos nativos da Amazônia, pimentas murupi, ervas e conservantes naturais. As misturas formam os deliciosos molhos de pimenta sabores açaí, cupuaçu, castanha-do-brasil e tucumã. E esses são apenas quatro de um total de 25, produzidos e industrializados pelo engenheiro florestal Walter Antunes. O empresário explica que para chegar ao resultado final foram três anos de pesquisa em parceira com o também engenheiro florestal, Afonso Ribeiro.

Os molhos são fabricados em Itacoatiara na indústria Agronvida. “Há três meses iniciamos as degustações para chegar à consistência e sabor ideal, e também os testes para indicar em quais pratos os molhos de pimentas se sobre saem”, explicou Walter sobre os produtos que estão há 30 dias no mercado. 


Engenheiro florestal Walter Antunes (Foto: Aguilar Abecassis)

Durante esse período de degustação e ajustes eles chegaram à conclusão que as pimentas de açaí e tucumã são ideais para harmonizar com carnes e peixes. Já de cupuaçu e castanha-do-brasil combinam com salgados. 

Entre os diferenciais das produções destacam-se o uso de conservantes naturais, bem como os próprios frutos, que contém proteínas, carboidratos e fibras como valor nutricional.

Os molhos, disponíveis por enquanto em 90 ml, podem ser encontrados no Capital Steak House, localizado no Shopping Ponta Negra, e na Casa da Pamonha, próxima ao Teatro Amazonas. As unidades variam de R$ 7 a R$ 12 nos estabelecimentos. Para comprar direto com Walter o telefone é o 99427-3008. 

Produção artesanal 


Icaro Costa (Foto: Winnetou Almeida)

Outro destaque na produção de molhos de pimentas é do empreendedor Icaro Costa do “Icaro Pimentas Regionais”. Encontrados em 16 sabores, todos são produzidos artesanalmente e ele relata ter “muito cuidado” para separá-las.

Icaro conta que começou a produzir as pimentas há quatro anos, quando cursava o ensino médio e as vendas começaram de forma inusitada. “No mesmo dia quando sai da escola, um homem me parou na frente da escola e perguntou se eu estava vendendo aquele vidro de pimenta, e eu disse que sim. O homem comprou e depois começou a pedir mais, e de boca em boca começou meu projeto”, contou.

As pimentas utilizadas por ele  são todas de origem amazônica, menos a pimenta dedo de moça, originária do Peru. Já como especiarias ele costuma usar cachaça, leite de coco, azeite e entre outros. As unidades variam de R$ 20 a R$ 200 e podem ser encontradas no @icaropimetasregionais.

Publicidade
Publicidade