Publicidade
Amazônia
Cheia no interior

Fundação de Vigilância em Saúde atualiza plano para cheia no Amazonas

Documento elaborado por técnicos possui orientações para moradores em casos de catástrofe 05/06/2013 às 10:33
Show 1
O contato dos moradores com a água poluída dos igarapés é uma preocupação
Jornal A Crítica ---

A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS- AM) está atualizando o Plano de Contingências de Vigilância em Saúde para o enfrentamento dos Efeitos dos Desastres decorrentes das Enchentes e Vazantes no Amazonas. Ao todo, mais de 35 municípios do interior decretaram situação de emergência devido às enchentes que afetam aproximadamente 27 mil famílias, segundo dados da Defesa Civil do Estado. Devido à subida das águas cada vez mais cedo, a FVS está atualizando o plano estadual com recomendações que devem ser seguidas para o atendimento de saúde à população, em casos de catástrofes.

As cheias dos rios Amazônicos, comuns nesta época do ano, além de causar prejuízos materiais podem também aumentar as chances de acidentes, principalmente com animais peçonhentos, explica o diretor-presidente da FVS-AM, Bernardino Albuquerque. “É comum o aumento dos ataques de cobras e escorpiões”, alerta Albuquerque. Ele acrescenta que a instituição já abasteceu todas as unidades de saúde municipal com soro antiofídico.

Em Manaus,nessa terça-feira(04), as equipes da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (Semasdh) retornaram à comunidade Bariri, no bairro Presidente Vargas, Zona Sul, para fazer o cadastramento das famílias atingidas pela cheia.

Segundo a diretora do Departamento de Proteção Social Especial da Semasdh, Gecilda Albano, na semana passada 305 famílias do bairro foram cadastradas, mas as equipes retornaram ao local após solicitação dos moradores.

Publicidade
Publicidade