Publicidade
Amazônia
Amazônia

Governo federal destina cerca de 1 milhão de hectares para unidades de conservação no AM

Há 172 terrenos cultiváveis federais no Amazonas, das quais 30% estão sendo analisadas pela Serfal com fins de destinação 08/09/2013 às 16:43
Show 1
Vista aérea da Floresta Amazônica, maior bem natural do Estado
acritica.com* Manaus, AM

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Política Fundiária (SPF), participa nesta segunda-feira (9), em Brasília, do ato que destinará cerca de um milhão de hectares de terras federais no Amazonas para conservação ambiental. A assinatura do Ato de Destinação de Terras Públicas ocorrerá às 15h, na Esplanada dos Ministérios.

Na ocasião, estarão presentes os ministros de Desenvolvimento Agrário; do Meio Ambiente; de Planejamento, Orçamento e Gestão; os presidentes do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e da Fundação Nacional do Índio (Funai), e o secretário de Estado de Política Fundiária, Ivanhoé Mendes.

A Câmara Técnica da Secretaria Extraordinária de Regularização Fundiária na Amazônia Legal (Serfal/MDA) aprovou a destinação de duas glebas federais, a Urupadí e a Parauarí, localizadas nos municípios de Maués e Borba. As áreas serão transformadas em Unidades de Conservação.

“Inicialmente, a proposta era transformar essa glebas em unidades de conservação de proteção integral. Por intervenção do Governo do Estado, elas serão unidades de uso sustentável, o que garante a permanência dos moradores que residem no local”, explica o secretário de Política Fundiária, Ivanhoé Mendes.

Há 172 glebas federais no Amazonas, das quais 30% estão sendo analisadas pela Serfal com fins de destinação. Após ouvir os ministérios e o governo federal, a Serfal vai ouvir o Governo do Estado sobre o interesse nessas áreas.

O Governo do Estado já manifestou interesse na gleba PIC Bela Vista, nos municípios de Iranduba e Manaquiri, com 70 mil hectares. “São áreas remanescentes, contíguas à Cidade Universitária, que o Estado tem interesse em ordenar e regularizar”,explica Mendes.

*Com informações da Agência de Comunicação do Amazonas (Agecom)

Publicidade
Publicidade