Publicidade
Amazônia
Amazônia

Greenpeace realiza protesto no Encontro das Águas contra exploração na floresta amazônia

Pelo menos 12 ativistas da ONG participam da ação às margens de Manaus. A faixa foi estendida em uma balsa, quase do tamanho de um campo de futebol, com a mensagem contra a exploração de petróleo e gás na região 01/10/2015 às 16:00
Show 1
Greenpeace faz protesto no Encontro das Águas contra avanço da exploração de petróleo e gás na floresta
Luana Carvalho Manaus (AM)

Ativistas do Greenpeace estão no Amazonas, onde realizaram, na manhã desta quinta-feira (1°), um protesto contra o avanço da exploração de petróleo e gás na floresta amazônica. Eles exibiram uma faixa de 80 metros no encontro das águas com a mensagem "Deixem as fontes fósseis no chão". 

A ONG tenta chamar atenção contra o 13° leilão de energia que será ofertado pelo Governo Federal na próxima quarta-feira (7). O certame ofertará 266 blocos de gás e petróleo para exploração em 10 bacias hidrográficas, entre elas a do Amazonas, Parnaíba, Potigar e Recôncavo.  

Pelo menos 12 ativistas do Greenpeace participam da ação. A faixa foi estendida em uma balsa de 80 por 20 metros, quase um campo de futebol. De acordo com o ativista Thiago Almeida, os sete blocos que estão sendo ofertados no Amazonas impactarão diretamente 19 terras indígenas (TI) e 15 unidades de conservação (UC).

"Além da questão de estar explorando uma floresta, a maior floresta tropical do mundo, existem blocos que estão na fronteira de unidades de conservação, na fronteira da propria cidade de Manaus e quase na fronteira do encontro das águas. Mas o pior de tudo é que há sobreposição em terras indígenas", explica Thiago.

O caso pior, segundo levantamento do Greenpeace, é nos blocos do sul da bacia, que se sobrepõe a quatro territórios indígenas: Trincheira/Bacajá, Padre e Miguel/Josefa. No total, mais de 1,3 mil indígenas poderão ser afetadas.   

Para a ONG, colocar a Amazônia em risco para a producao de petróleo e gás contradiz qualquer compromisso nacional pela redução de emissões de gases de efeito estufa, compromisso firmado pela presidente Dilma Roussef durante seu pronunciamento na Conferência dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, que aconteceu no último final de semana, na ONU, em Nova York.

Publicidade
Publicidade