Publicidade
Amazônia
GUARANÁ

'Homem da Floresta': linha de produtos formulados à base de guaraná é lançado

Estudos com o guaraná foram concluídos recentemente e os pesquisadores farão, hoje, o pré-lançamento da linha ‘Homem da Floresta’, produtos formulados à base do fruto. O projeto local tem parceria com centros universitários 21/06/2016 às 14:01 - Atualizado em 21/06/2016 às 16:43
Show heueh
Grupo de pesquisadores que desenvolveram o livro e a linha ‘Homem da Floresta’ / Fotos: Clóvis Miranda
Luana Carvalho Manaus (AM)

Antioxidante, energético, antimicrobiano, ajuda na função cognitiva e da memória, auxilia no processo antidepressivo e até na prevenção contra o câncer. Estes são alguns dos inúmeros benefícios do guaraná, fruto nativo da Amazônia, que há 10 anos é pesquisado pela Universidade Aberta da Terceira Idade (UnaTI-AM), Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e Universidade de Tokio.

Os estudos com o guaraná foram concluídos recentemente e os pesquisadores farão o pré-lançamento da linha ‘Homem da Floresta’, produtos formulados à base do fruto, nesta terça-feira, na sede da Unati, localizado na avenida Brasil, Zona Oeste de Manaus. O projeto é coordenado pelo doutor Euler Ribeiro em parceria com a doutora Ivana Mânica da Cruz, da UFSM.

“Há 10 anos, o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas) publicou que 1% da população de uma região do médio Amazonas, mais precisamente em Maués, estava acima dos 90 anos de idade, quando a média mundial nessa idade é só meio porcento. Com base nestes dados, fomos analisar todos os viés positivos do envelhecimento nesta região”, explica Euler Ribeiro, diretor da UnaTI.

Os viés estudados são compostos pela fuga do estresse, genética, sono, exercício e dieta. Ao todo, os pesquisadores analisaram 1.813 pessoas com mais de 60 anos, de 114 comunidades de Maués. Sendo que, 10% dessa população foi estudada geneticamente. “Colhemos o sangue de 180 indivíduos e destes, 67% tinham apolipoproteína E2 (marcador de longevidade) no DNA. As pesquisas foram feitas no laboratório de Santa Maria, um dos melhores das universidades federais”, relatou Ribeiro.

Entre as causas da longevidade nos homens da floresta, está o exercício físico. “Eles fazem a roça na terra firme por conta da sazonalidade das águas dos rios. Vão remando ou caminhando pela floresta, levando um paneiro cheio de coisas, e ainda trazem os frutos que apanham ao longo da caminhada”.

E são justamente esses frutos que compõe a dieta dos ribeirinhos os principais responsáveis pelo envelhecimento saudável. “Eles só comem peixe e outros frutos da floresta como açaí, abacapa, patauá. O jaraqui é o mais consumido, por ser mais abundante. É também o mais rico em Ômega 3, tanto ou mais que o salmão (peixe de mar)”.

Além disso, a dieta dos ribeirinhos desta região é composta por muita mandioca, mais benéfico que o trigo por não conter glúten e ainda possuir complexo B. “Mas o hábito principal identificado é que eles começam o dia tomando sapó, uma mistura de pó de guaraná com água, adoçado com mel de abelha. E repetem, todos os dias, a mesma dose na hora do almoço”.

Resultados

Entre os resultados da pesquisa, foi constatado que 239 de 421 idosos que bebiam guaraná todos os dias eram menos hipertensos e obesos. Também apresentaram índices menores de hiopertensão, triglicerídeos, ácido úrico e glicemia alta. “Também fizemos um ensaio clínico com 14 pessoas com sobrepeso no Rio Grande do Sul, que não têm a genética dos ribeirinhos. Essas pessoas tomaram uma cápsula por dia, durante 15 dias, e sem alterar nada na dieta houve uma redução nesses índices e ainda constatou-se uma perda de peso nas mulheres, por causa do poder termogênico do guaraná”, ressaltou a doutora em farmacologia da UFSM, Fernanda Barbisan.

Após 10 anos de estudo, grupo desenvolveu livro

Com base nos 10 anos de estudos, o grupo de pesquisadores envolvidos no projeto desenvolveram o livro “O guaraná - Saúde e longevidade”, juntamente com a linha ‘Homem da Floresta’, composta por cinco produtos. O ‘Pró-Vida’, que contém guaraná, colágeno e resveratrol, pode auxiliar no combate ao envelhecimento da pele e ajudar no fortalecimento e desempenho de órgãos vitais. Para auxiliar na perda de peso, o ‘Pró-Metabilismo’ combina guaraná e Oliveira. O único produto da linha que não contém guaraná é o ‘Pró-equilíbrio’, que alia graviola e beringela para diminuir o colesterol ruim, diabetes e hipertensão. Também há o ‘Pró-Amor’, para aumentar o desejo e atividade sexual, que combina o guaraná, catuaba e tribulus terrestris (tipo de erva).

Outros componentes da dieta do ribeirinho ainda estão sendo estudados pelos pesquisadores, como o açaí, cubiu, tucumã e castanha. “Pesquisamos outros frutos, mas as pesquisas com o guaraná estão bastante avançadas. Fizemos testes em células cancerígenas e vimos que o guaraná potencializa o efeito quimioterápico e diminui a fadiga em pacientes em tratamento”, complementou a pesquisadora Verônica Farina Azzolin.

Lançamento da ‘linha’

A linha será apresentada nesta terça-feira, às 10h, na Universidade Aberta da Terceira Idade (UnaTI), localizada no mesmo terreno que o Centro de Convivência da Família Magdalena Arce Daou, na Zona Oeste. Para mais informações sobre os produtos, o e-mail é pharmacogeneltda@gmail.com.

Publicidade
Publicidade