Publicidade
Amazônia
operação tucandeira

Ibama aplica mais de R$ 1 milhão em multas contra exploração em terras indígenas

Multas foram dadas durante a “Operação Tucandeira”, que acontece em três municípios do Amazonas. Operação tem o objetivo de combater o desmatamento e será intensificada por conta do Festival Folclórico de Parintins 22/06/2016 às 21:50 - Atualizado em 23/06/2016 às 15:38
Show c vbcvb
Operação visa combater o desmatamento e a exploração em terras indígenas. Foto:Márcio Silva/Arquivo AC
Luana Carvalho Manaus (AM)

Mais de R$ 1 milhão em multas já foram aplicadas pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) durante a “Operação Tucandeira”, que teve início dia 13 deste mês e se estende até o dia 28. A ação está acontecendo nos municípios de Parintins, Barreirinha e Nhamundá, todos a mais de 300 quilômetros de distância de Manaus.

A operação visa combater o desmatamento e a exploração de madeireiros e minérios ilegais em terras indígenas e no entorno delas.  Além da multa em dinheiro, 170 hectares de terras foram embargados por estarem desmatando e explorando madeira e minerais ilegalmente. Foram mais de 20 metros cúbicos de madeira serrada apreendida, além de 120 quilos de capim.

A operação vai ser intensificada neste final de semana, por conta do Festival Folclórico de Parintins. “Visamos orientar os turistas e artesãos a fiscalizar o uso de comercialização de produtos e subprodutos da diversidade brasileira em artesanatos e adornos”, explicou Geandro Pantoja, superintendente substituto do Ibama local.

A equipe do Ibama, formada por  cinco agentes ambientais e dois policiais militares, também se reuniu com lideranças quilombolas e indígenas das etnias Hixkaryana e Sateré Mawé para ouvir as demandas das comunidades, prestando esclarecimento e orientações sobre as ações de fiscalização.

“Informamos sobre práticas agrícolas adequadas, controle de queimadas e produção de artesanatos legais, com subprodutos da biodiversidade, estreitando e fortalecento a parceria e proteção ambiental em seus territórios tradicionais”, completou.

A operação Tucandeira conta com a colaboração da Fundação Nacional do Índio (Funai), do Centro de Trabalho Indigenista (CTI) Polícia Militar e secretarias de meio ambiente dos municípios de Parintins e Barreirinha.

Garimpos ilegais

No mês passado, o Ibama e a Funai realizaram uma operação de combate à exploração ilegal de ouro na terra indígena Yanomami, em Roraima, que resultou na destruição de 20 balsas, 11 acampamentos e 6 motobombas.  Os fiscais também apreenderam um revólver calibre 38 com numeração raspada, uma espingarda de caça, munição e dois frascos de mercúrio. A ação mobilizou 35 servidores, incluindo agentes ambientais do Grupo Especializado de Fiscalização (GEF) do Ibama, técnicos da Funai e policiais de Roraima. A equipe utilizou 3 helicópteros e 1 avião para fiscalizar regiões de difícil acesso. Durante a ação, foram identificadas 15 pistas de pouso clandestinas.

Formação

O Ibama formou 41 novos agentes de fiscalização para o combate a infrações ambientais em todo o País. Encerrado neste mês, o Curso de Fiscalização Ambiental 2016 durou 62 dias com aulas de formação aos servidores selecionados para atuar como fiscais. Na parte prática, os alunos participaram de operações de fiscalização no Distrito Federal, que resultaram na aplicação de R$ 590 mil em multas.

Publicidade
Publicidade