Publicidade
Amazônia
Amazônia

Incubadora de negócios sustentáveis pretende beneficiar 1,5 mil ribeirinhos em reserva

A inovação é fruto do Projeto Aliança desenvolvido pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTI) e implementado com apoio da Fundação Amazonas Sustentável (FAS) 22/11/2013 às 18:45
Show 1
"Projeto beneficiará 298 famílias", afirma o superintendente-geral da FAS, Virgílio Viana
ACRITICA.COM* Manaus (AM)

Uma ação que envolve Fundação Amazonas Sustentável (FAS) e o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTI) pretende beneficiar diretamente 1,5 mil ribeirinhos da Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Rio Negro. Na noite desta quinta-feira (21) Inpa e FAS inauguraram a Incubadora de Inovação Tecnológica para Empreendimentos Sustentáveis no Amazonas.

Além de Inpa e FAS fazem parte da parceria Centro de Incubação e Desenvolvimento Empresarial (Cide) e Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam). A inauguração ocorreu na sede da FAS, na Rua Álvaro Braga, 351, Parque Dez de Novembro, Zona Centro-Sul de Manaus.

Estiveram presentes na inauguração o superintendente geral da FAS, Virgílio Viana, a coordenadora de Extensão Tecnológica e Inovação do Inpa (CETI), Rosângela Bentes, e o assistente da presidência da Fapeam, Edilson Soares.

A incubadora tem por objetivo apoiar novos empreendimentos comunitários da RDS do Rio Negro e fortalecer os empreendimentos existentes por meio de processos de formação, assistência técnica e intercâmbio de experiências, ampliando a geração de renda e condições para sua sustentabilidade. Serão beneficiadas 298 famílias, de 11 comunidades da RDS Rio Negro.

“Essa incubadora para nós é muito importante, porque está presente em um momento fundamental da formação de um empreendimento, quando mais precisa de apoio, no seu começo. Os ribeirinhos ganham um apoio decisivo nesse processo”, destaca o superintendente-geral da FAS, Virgílio Viana.

O CETI/INPA foi responsável pela coordenação do Projeto Aliança, e pela criação, estruturação e implantação da incubadora, onde os empreendimentos serão promovidos e estimulados na reserva do Rio Negro. 

“O desafio do projeto Aliança é a implantação de novas incubadoras no interior do Estado. É um trabalho conjunto do Inpa, com apoio do Cide. Nossa intenção é promover espaços para os empreendedores do interior do Estado, com inovação, com sustentabilidade, que seja um ganho para Amazônia”, comenta Rosângela Bentes, coordenadora do CETI/INPA. 

O projeto 

O objetivo do Projeto Aliança é apoiar empresas focadas na competência locais de desenvolvimento econômico predominante do respectivo interior, na qualificação recursos humanos da região e incentivar a formação de rede das incubadoras do Amazonass. Além da incubadora da FAS, o Projeto propõe implantar a outra em Tefé (AM), em parceria com o Instituto Mamirauá.

“O interior do Estado tem uma potencialidade muito diferente da capital. É por isso nós estamos levando novos modelos de incubação para comunidades ribeirinhas. Em breve, teremos empregos, novos negócios e mais oportunidades para nossa gente”, comenta Edilson Soares, da Fapeam.

*Com informações da assessoria de imprensa

Publicidade
Publicidade