Publicidade
Amazônia
RESGATE

Jiboia é a espécie de cobra mais comum nos resgates da Gerência de Fauna do Ipaam

Nos primeiros quatro meses deste ano foram resgatadas 20 jiboias pela equipe do Ipaam. Em 2016, dos 510 animais silvestres resgatados pelo Ipaam, 76 foram cobras, sendo 60 jiboias 12/05/2017 às 14:41 - Atualizado em 12/05/2017 às 14:43
Show jiboia
(Foto: Divulgação/Ipaam)
acritica.com Manaus (AM)

As cobras estão entre os grupos de animais mais encontrados por moradores da área urbana de Manaus que acionam o resgate de fauna do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (IPAAM), sendo a jiboia a espécie mais resgatada em locais como terrenos, residências e igarapés próximos a áreas verdes.

Nos primeiros quatro meses deste ano foram resgatadas 20 jiboias pela equipe da Gerência de Fauna do Ipaam. Em 2016, dos 510 animais silvestres resgatados pelo Ipaam, 76 foram cobras, sendo 60 jiboias.

A jiboia não é uma espécie peçonhenta, pois não possui veneno e muito menos consegue inocular no ser humano, portanto, não oferece risco neste aspecto, ressalta o Gerente de Fauna do Ipaam, o biólogo Marcelo Garcia. A cobra pode medir até 4 metros de comprimento. “Ela não é peçonhenta, apesar da crendice popular associá-la a produzir veneno em certa época do ano, o que não é verdade", esclarece o Gerente de Fauna do Ipaam.  Em casos em que o cidadão localize uma cobra no ambiente urbano, o biólogo recomenda isolar do animal do contato humano e acionar imediatamente o resgate de fauna do Ipaam ou do Batalhão Ambiental.

"Acreditamos que a jiboia se adaptou bem ao ambiente urbano porque ela tem o seu alimento disponível em abundância, principalmente os roedores. As cobras durante a busca de alimento ou em época de reprodução realizam deslocamentos que podem coloca-las em contato com seres humanos", informa o biólogo.

As cobras peçonhentas foram a minoria entre os ofídios resgatados pelo IPAAM em 2016, das 76 cobras resgatadas, apenas três eram peçonhentas, sendo duas jararacas e uma coral verdadeira. "Este número baixo pode ser explicado devido as pessoas com receio de acidentes acabem matando os animais. Portanto as pessoas podem matar a cobra e não informar ao órgão ambiental ou também pelo fato das cobras peçonhentas serem mais encontradas nos ambientes de floresta ao invés do urbano", comenta.

Lembramos que matar animais silvestres é proibido e pode acarretar em multas de R$ 500 a R$ 5.000 por exemplar e prisão de seis a dezoito meses.

O resgate de fauna atende no número (92) 2123-6774, dentro da área urbana. Já o Batalhão de Policiamento Ambiental recebe denúncias através da linha direta 98842-1547 ou ainda pelo 190.

*Com informações da assessoria de comunicação.

Publicidade
Publicidade