Sexta-feira, 20 de Setembro de 2019
MEDIDAS

Lima diz que vai casar ajuda federal com ações já desenvolvidas no AM

Governador afirmou que o Amazonas tem 97% da floresta preservada e assinou carta com outros governadores pedindo 'apoio material' para enfrentar o desmatamento na regiãp



WhatsApp_Image_2019-08-21_at_17.49.18_26A621A1-8A9F-40C9-AAC0-5E71CF0E8530.jpeg (Foto: Secom)
24/08/2019 às 12:39

O governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), enviou carta, juntamente com outros governadores da região Norte, solicitando apoio material no combate às queimadas na Amazônia. Em entrevista na manhã deste sábado, o governador não descartou o reforço das Forças Armadas, já disponibilizada pelo governo federal. “A preocupação é casar essa ajuda (do Governo Federal) com as ações já desenvolvidas em cada estado, com o apoio do Exército, Aeronáutica e Marinha”, disse Lima.

Na sexta-feira (23) o presidente Jair Bolsonaro (PSL) decretou ato de  Garantia da Lei e da Ordem (GLO), autorizando o emprego de militares em ações contra os delitos ambientais, caso haja requerimento dos nove governadores da Amazônia Legal. Uma reunião marcada para a próxima terça-feira irá alinhar a participação dos governadores.

Uma carta coletiva, explicou o governador do Amazonas, foi assinada e encaminhada individualmente pedindo apoio ao presidente da República. “Solicitamos imediatas providências no sentido de viabilizar a cooperação das estruturas dos Estados da Amazônia Legal com apoio material para o enfrentamento efetivo ao desmatamento”, diz trecho da carta.  A construção de agenda permanente de proteção, conservação e desenvolvimento sustentável também foi requerida, no trato de parcerias necessárias. 

Lima ainda criticou a repercussão internacional das queimadas, e opinou  que “há um exagero muito grande sobre isso”. “Causa uma imagem ruim e todos nós somos afetados. Já começamos a ter problemas com investidores estrangeiros. No Amazonas temos 97% da floresta preservada. O desmatamento representa 0,16% do território estadual. Estamos bem melhores que os outros estados”, declarou. 

No Estado, uma força-tarefa foi constituída em conjunto com órgãos como Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas para coibir os focos de incêndio. Cerca de 500 brigadistas de incêndios foram levantados e três centros multissensoriais  de monitoramento foram instalados em Apuí, Humaitá e Boca do Acre. Mais de 2,5 mil autos de infração foram aplicados e, em alguns casos, previsão de prisão aos reincidentes. Sobre a concessão de Unidades de Conservação à iniciativa privada, o governador disse que Maués será a primeira escolhida para o manejo sustentável, e que até ano que vem o edital estará pronto.

Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.