Terça-feira, 30 de Novembro de 2021
REUNIÃO

Live debate política de preços mínimos da sociobiodiversidade

A finalidade é divulgar a PGPM-Bio, política executada pela Conab para garantir preço mínimo a 17 produtos extrativistas que ajudam na conservação dos biomas brasileiros



andiroba_30B428DE-8998-4856-9567-5B38000C4D0A.jpg
24/06/2020 às 17:25

Uma reunião virtual marcada para 10h (horário de Manaus) desta segunda-feira, sob a coordenação da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), vai tratar da Política de Garantia de Preços Mínimos para os Produtos da Sociobiodiversidade (PGPM-Bio).

A finalidade é divulgar a PGPM-Bio, política executada pela Conab para garantir preço mínimo a 17 produtos extrativistas que ajudam na conservação dos biomas brasileiros: açaí, andiroba, babaçu, baru, borracha extrativa, buriti, cacau extrativo, castanha-do-brasil, carnaúba, juçara, macaúba, mangaba, murumuru, pequi, piaçava, pinhão e umbu. 



O pagamento do bônus é feito aos extrativistas após a comprovação da venda de sua produção por preço inferior ao fixado pelo governo federal.

Na reunião serão apresentados detalhes da PGPM-Bio, começando pelos objetivos da política. Serão detalhados, por exemplo, regras, produtos, limites de subvenção que o extrativista pode receber, cadastro no sistema (Sican), preenchimento de formulários e envio de documentos para processamento do pagamento da subvenção.

Foram convidados para a videoconferência técnicos do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam) e da Fundação Amazonas Sustentável (FAS).

Para o gerente do programa Floresta em Pé da FAS, Edvaldo Corrêa, a reunião é super importante para alinhar Conab, Idam e Fundação. “Vamos fazer parcerias com esses dois órgãos para ver como a Fundação pode apoiar para melhorar o incentivo aos nossos produtores extrativistas e manejadores. Como a FAS pode apoiar com a logística para cadastrar os produtores da Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP) e atualizá-las tendo em vista que muitos não tem as DAPs ou estão irregulares, e, assim, não conseguem ter acesso às políticas do preço mínimo”, comentou ele.

Ele também vê com felicidade a inclusão, na política do preço mínimo, do pirarucu de manejo de áreas protegidas. “É a oportunidade dos manepirarucu de pescado de pirarucu acessar essa política e melhorar o preço e a questão da qualidade de vida dessas pessoas”, frisa Edvaldo Corrêa.

Reforçando os elos

O encontro visa reforçar também a parceria da Conab com o Idam, órgão executor das atividades de assistência técnica e extensão rural no Estado do Amazonas e apresentar a política à FAS. O evento destina-se aos técnicos do Idam e da FAS, mas está aberto à participação de interessados no tema em debate.

SERVIÇO

O quê: Videoconferência sobre PGPM-Bio

Quando: Hoje 25/06, às 10h

Onde: Sala de reunião virtual https://meet.google.com/svt-bwny-zgn

Mais informações: imprensa@conab.gov.br

 

Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.