Publicidade
Amazônia
VIDA ANIMAL

Macaco-de-cheiro dócil invade casa no Centro de Manaus e é resgatado por bombeiros

Quando a equipe chegou ao local, o animal estava na cabeça do filho de dez anos do proprietário do imóvel; o macaco foi levado ao Ibama onde passará por avaliação 01/05/2017 às 14:39
Show macaco 1111
Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros
Rafael Seixas Manaus (AM)

O Batalhão de Incêndio Florestal e Proteção Animal do Corpo de Bombeiros do Amazonas foi acionado no início da tarde desta segunda-feira (1°) para resgatar um macaco-de-cheiro (Saimiri sciureus), na rua José Paranaguá, no Centro de Manaus.

Ao chegar ao local, a equipe percebeu que o animal apresentava sinais de ser domesticado e que teria provavelmente fugido de alguma casa da vizinhança.

“Quando chegamos, o macaco estava na cabeça do filho de dez anos do proprietário da casa. A porta estava aberta e o animal não fugiu”, contou o bombeiro Adriano Pantoja, explicando ainda que, além de ser dócil, não há área de mata nas proximidades da ocorrência e que por isso o macaco provavelmente seria domesticado.

O macaco-de-cheiro foi levado primeiramente para o Refúgio da Vida Silvestre Sauim-Castanheiras, no Distrito Industrial 2, na Zona Leste, mas os bombeiros foram informados que a instituição não está recebendo animais no momento. Em seguida, o macaco foi movido para o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), no Distrito Industrial 1, também na Zona Leste, onde ficará três dias em observação para saber se será reinserido ao seu habitat natural.

O Saimiri sciureus recebe este nome por sua rotina de higiene pessoal. Ao contrário do que ocorre com outras espécies de primatas, a limpeza dos pelos não é uma atividade feita em grupo. Cada mico-de-cheiro limpa e penteia seu próprio pelo. Depois de penteados, urinam na própria cauda e a encharcam bem usando as mãos. Esta é a razão do seu nome popular e a explicação para seu odor nada agradável.

Publicidade
Publicidade